Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Raikkonen garante: ‘Nunca perdi a paixão pela Fórmula 1’

Redação Central, 29 nov (EFE).- O piloto finlandês Kimi Raikkonen, que está fora da Fórmula 1 desde o fim de 2009 e retornará em 2012, pilotando pela Renault, afirmou que em momento algum perdeu a motivação para correr na principal categoria do automobilismo.

Raikkonen assinou um contrato de dois anos com a equipe anglo-francesa, que no ano que vem passará ser chamada apenas de Lotus. Há dois anos, ele deixou a Ferrari e se arriscou no Mundial de Rali, em que não obteve grande sucesso, além de ter disputado provas de categorias de acesso da Nascar.

‘O principal motivo (para retornar) foi que nunca perdi a paixão pela Fórmula 1. Talvez tenha perdido por algumas coisas que há ao redor’, disse o finlandês em entrevista divulgada por sua nova equipe.

Raikkonen considerou que a principal desvantagem do Mundial de Rali é que não competição direta entre os pilotos.

‘Quando disputei algumas corridas da Nascar, este ano, me dei conta que sentia falta de competir contra outros pilotos na pista, já que nos ralis só se compete contra o relógio. Então recebi o convite de algumas pessoas da Fórmula 1. Foram de todo tipo, até que tive uma agradável conversa com a Lotus Renault, e chegamos a um acordo. Estou muito feliz por isso’, declarou o piloto de 32 anos, que revelou por que escolheu a Renault e não a Williams.

‘Na realidade, havia duas opções: Lotus Renault ou Williams. E com a Lotus Renault tudo funcionou como queríamos. Esse é o motivo’, explicou.

Raikkonen foi campeão mundial de Fórmula 1 em 2007, pela Ferrari, em um campeonato decidido apenas na última corrida, o GP do Brasil. Naquela prova, ele contou com o mau desepenho dos pilotos da McLaren, o inglês Lewis Hamilton e o espanhol Fernando Alonso.

Nas duas temporadas seguintes, o finlandês se mostrou desmotivado e teve participação discreta, com um terceiro e um sexto lugar no Mundial. No entanto, ele garantiu que em 2012 será diferente.

‘Não retornaria se não estivesse motivado. Fala-se muito de se sou ou não sou um piloto motivado, mas não me importa o que dizem pessoas que não sabem como penso. Estou feliz por voltar. Não poria meu nome em um contrato se não pensasse que vou aproveitar’, afirmou.

Raikkonen confessou que no ano passado não acompanhou muito a Fórmula 1, mas que neste ano esteve mais atento, apesar de não ter acompanhado nenhuma equipe em especial. A exceção foi o GP do Brasil, em que deu atenção especial à Renault.

‘Vi as 20 últimas voltas da última, no Brasil, e, como sabia o que aconteceria, estive atento ao que fazia a Lotus Renault’, revelou.

‘Antes desse momento, não sabia o que aconteceria e se chegaria a algum acordo para estar na Fórmula 1 no ano que vem, por isso via a Fórmula 1 em geral, sem focar em uma equipe. Vi algumas corridas, mas nada especial’, completou.

Sobre as mudanças ocorridas no regulamento da F-1 desde que deixou a categoria, o piloto se mostrou atento e disse que está preparado para se adaptar a elas.

‘Em comparação com 2009, a maior diferença provavelmente serão os pneus. Não acho que haja muita diferença quanto aos carros. O DRS (asa traseira móvel) é algo novo, mas é muito parecido com a asa dianteira móvel, que já desapareceu. Agora, é com a asa traseira. Mas acredito que serão os pneus a principal mudança’, avaliou. EFE