Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Presidente da CBF avisa: não quer Ronaldinho em Londres

Marin diz que não vetará jogador do Flamengo, mas acha que ele não tem lugar

“Já vimos listas em que eu mesmo tinha dificuldade para saber quem era um determinado jogador”, disse Marin. “A diferença é que eu sou do meio”, completa o cartola

Na opinião do presidente da CBF, José Maria Marin, Ronaldinho Gaúcho não deveria entrar na seleção que vai disputar os Jogos Olímpicos de Londres, em julho. A convocação da seleção brasileira para os amistosos que servirão para definir a composição final da lista da Olimpíada ocorre na sexta-feira. E o dirigente já deixou claro que pretende ver quem são os escolhidos nesta quarta, 48 horas antes de serem anunciados ao público. O cartola afirma ainda que é de sua responsabilidade evitar que o evento seja usado por empresários de jogadores para promover seus atletas e insiste que o objetivo terá de ser o de formar uma equipe com “espírito olímpico”. Marin garante que não quer ter acesso antecipado à lista de jogadores para incluir eventuais protegidos seus na seleção de Mano Menezes. Mas ele acredita que ajudaria a evitar “elementos estranhos”.

Em março, Mano Menezes anunciou uma lista de 52 jogadores pré-convocados para ir a Londres, uma exigência do Comitê Olímpico Internacional (COI). E Ronaldinho Gaúcho estava nesse grupo. Assim como para qualquer outro caso que pareça fora de contexto, Marin insiste que a comissão técnica terá de dar explicações para justificar se o astro do Flamengo precisa aparecer na convocação olímpica. Mas deixa claro que, por ele, o jogador “não iria”. Marin explica que tentará evitar que surpresas acabem ocorrendo, com a inclusão de jogadores desconhecidos e que seriam alvo de pressão de empresários, na esperança de promover certos atletas. “Todos sabem quem são os melhores”, disse o presidente da CBF, apontando para exemplos como Lucas, do São Paulo, e Leandro Damião, do Inter.

“Já vimos listas em que eu mesmo tinha dificuldade para saber quem era um determinado jogador”, lembrou. “A diferença é que eu sou do meio. Conheço todos os detalhes. Não adianta me dizer que tal ou tal jogador está estourando num campeonato totalmente desconhecido. Conheço todos os truques.” A próxima convocação promete ser uma das mais importantes na era Mano Menezes, pelo menos desde a Copa América. Isso porque o treinador terá, a partir do final de maio, um bom tempo com a equipe. No próximo dia 26, em Hamburgo, o Brasil enfrenta a Dinamarca em amistoso. Logo depois, viaja para encarar os Estados Unidos, no dia 30. Quatro dias depois, ainda joga contra o México. No dia 9, enfrenta a Argentina. Marin insiste que a convocação terá um “caráter olímpico” – ou seja, a lista de sexta vai ser formada por jogadores que serão testados para serem usados nos Jogos de Londres.

Sem comentários – Apesar da polêmica provocada por sua decisão de ver a lista de convocados antes da divulgação, o presidente da CBF rejeita a tese de que está mudando procedimentos na seleção – e insinua que os demais presidentes da CBF também já tinham acesso aos nomes dos convocados antes do publicação. A diferença, segundo ele, é que nunca admitiram. O técnico Mano Menezes não quis comentar a posição de Marin sobre Ronaldinho. “Tenho relação direta com o presidente da CBF e com o diretor de seleções Andrés Sanchez. Não ouvi o teor da entrevista do presidente e, portanto, não vou fazer nenhum comentário”, disse ele. O treinador resolveu apostar em Ronaldinho Gaúcho após o fracasso do Brasil na Copa América da Argentina, em junho do ano passado. O jogador do Flamengo vivia uma boa fase. Depois, caiu de rendimento no clube carioca e sua presença na seleção virou alvo de críticas e rejeição.

(Com Agência Estado)