Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Presentes no fracasso argentino de 2002, Bielsa e Simeone se elogiam

Decepção da Copa do Mundo de 2002, disputada no Japão e na Coréia do Sul, com uma vitória, um empate e uma derrota, o que causou a eliminação ainda na primeira fase, a seleção da Argentina reunia grandes nomes do futebol mundial, como Batistuta, Verón, Simeone e Marcelo Bielsa. Passados dez anos do fracasso, os dois últimos se reencontram na decisão da Liga Europa. Como treinadores.

Diego Simeone pendurou as chuteiras e iniciou a carreira de técnico em 2005. No final do ano passado, o ex-volante chegou ao Atlético de Madri e conduziu a equipe à decisão da competição continental, que será disputada nesta quarta-feira, às 15h45 (de Brasília), na cidade de Bucareste, na Romênia.

Do outro lado do confronto estará Marcelo ‘El Loco’ Bielsa, que dirigiu a Argentina até 2004 e pouco tempo depois assumiu o comando do Chile. O Athletic Bilbao, que assumiu no final da temporada passada, é seu primeiro clube na nova fase da carreira como treinador. O ‘trauma’ da Copa de 2002 já está superado, garante o experiente comandante de 56 anos.’O desejo de ser campeão é grande dos dois lados. Dele, que foi um grande líder dentro de campo para consolidar o grande trabalho que faz, e eu para conquistar um título e seguir o trabalho no Bilbao. Será um reencontro bom’, avaliou Marcelo Bielsa, já em solo rom

Para Simeone, o que fica são os aprendizados conquistados durante o convívio na seleção argentina: ‘É como eu sempre digo: eu tenho uma grande admiração e ótimas lembranças do nosso tempo lado a lado. Os métodos do Bielsa podem surpreender qualquer um, temos que tomar muito cuidado e ter absoluto respeito’.