Clique e assine a partir de 9,90/mês

Perder o título para o Coxa não passa pela cabeça de palmeirenses

Por Da Redação - 10 jul 2012, 11h33

A um passo do céu, a um passo do inferno. Assim está o Palmeiras, que se conquistar a Copa do Brasil findará o jejum do clube e amenizará as decepções recentes, mas que se perder o título para o Coritiba nesta quarta-feira verá a crise aumentar de forma alarmante. Com a vitória por 2 a 0 na Arena Barueri, os jogadores preferem ser otimistas.

‘Não pode passar pela cabeça do jogar . Temos que estar confiante naquilo que vamos fazer dentro de campo. Com o pensamento positivo, que as coisas acontecem’, ensinou Henrique, que acompanhou a partida da última quinta-feira dos vestiários, por estar suspenso.

Do banco de reservas, Daniel Carvalho também viu de longe o Palmeiras sofrer certa pressão do Coritiba, mas construir o resultado amplamente favorável. E, assim como Henrique, não imagina deixar a taça escapar no Couto Pereira, nesta quarta-feira, quando provavelmente será titular, por conta da expulsão de Valdivia na ida. ‘Pensar negativo traz coisa negativa. Isso não é só no futebol, é na vida’, teorizou.

Além dos benefícios comuns trazidos por qualquer conquista, o título da Copa do Brasil também garante vaga para a Libertadores, competição que o Palmeiras não disputa há três anos – e viu seu maior rival vencer nesta temporada. A classificação antecipada poderia contribuir para a permanência tanto do técnico Luiz Felipe Scolari quanto do meia Valdivia.

Continua após a publicidade

Felipão já avisou que não renovará com o Palmeiras ao final do seu contrato, em dezembro, enquanto o chileno, após ver sua família se mudar para seu país por conta do sequestro relâmpago que sofreu em São Paulo, tem futuro completamente incerto no clube.

‘Esse jogo pode marcar a história dos jogadores. É uma competição nacional, que ainda dá vaga para a Libertadores. Só vamos saber a emoção de ganhar, depois de ganhar’, ansiou Henrique. ‘É o jogo mais importante do ano’, resumiu sobre a partida marcada para as 21h50 (de Brasília) desta quarta-feira.

Publicidade