Clique e assine com até 92% de desconto

Palmeiras dá vexame e empata com Comercial em casa

Por Da Redação 15 abr 2012, 18h32

Por Flavio Leonel

São Paulo – Amplamente favorito para obter uma vitória sobre uma equipe já rebaixada para a segunda divisão estadual, o Palmeiras mais uma vez frustrou sua torcida e apenas empatou com o Comercial, por 2 a 2, neste domingo, no Pacaembu. Assim, terminou a fase de classificação do Paulistão em quinto lugar e enfrentará agora o Guarani nas quartas de final, em jogo único, no próximo fim de semana, em Campinas.

Mesmo jogando com dois jogadores a mais durante praticamente toda segunda etapa da partida – Marcelo Labarthe e Leandro Camilo foram expulsos -, o Palmeiras deu vexame no Pacaembu. Uma vitória o deixaria em quarto lugar, com a vantagem de jogar em casa contra o Guarani. Mas não conseguiu ganhar de um time rebaixado e comprovou a sua queda de produção nesta reta final do Paulistão.

Os dois times iniciaram a partida sem poder contar com a força máxima no Pacaembu. No Palmeiras, Felipão já vinha há algumas partidas sem poder contar com os machucados Thiago Heleno, Valdivia e Luan. Passou a integrar a lista o meia Wesley, que se lesionou na rodada anterior, contra o Guarani, operou o joelho na quarta-feira e deve voltar a atuar, no mínimo, em seis meses.

Além da lista de machucados, o lateral-direito Cicinho foi expulso na derrota para o Guarani e cumpriu suspensão, assim como o volante Márcio Araújo e o meia Patrik, que levaram o terceiro amarelo. Para completar, Felipão decidiu preservar o volante João Vítor, que estava pendurado com dois cartões amarelos. Assim, o técnico promoveu as entradas de Arthur, Chico e Pedro Carmona.

No Comercial, que teve a saída do técnico Geninho após o rebaixamento, o interino Gil Baiano não pôde contar com o zagueiro Rafael Tavares, o volante Jordã e o atacante Elionar Bombinha, todos suspensos. Mas seus jogadores mostraram enorme disposição para encarar o Palmeiras, mesmo com a queda para a segunda divisão já consumada – terminou na lanterna, com 12 pontos.

Logo aos 9 minutos, Pedro Carmona teve a primeira grande oportunidade do jogo e chutou forte de fora da área, para defesa segura do goleiro Alex. Um minuto depois, Marcos Assunção deu passe ao centroavante Barcos, que driblou o adversário com uma puxeta e bateu de primeira, no alto. Mais uma vez, Alex, bem posicionado, evitou o gol palmeirense.

O Palmeiras continuou dominando o jogo, mas com poucas oportunidades claras de gol. Em uma delas, aos 25 minutos, o volante Marcos Assunção mandou um chute forte em cobrança de falta, que obrigou Alex a dar um soco na bola para evitar o primeiro gol. Aos 33, Marcos Assunção voltou a bater falta, a bola tocou no chão, mas Alex voltou a defender.

O Comercial era perigoso nos contra-ataques e foi exatamente desta maneira que a equipe de Ribeirão Preto abriu o placar no Pacaembu. Em lance rápido, aos 36 minutos, o atacante Leandro aproveitou a bola pela direita e cruzou na medida para Diogo Acosta, que tocou de primeira para o fundo das redes de Deola: 1 a 0.

A equipe do Palmeiras ficou nervosa com o gol, enquanto a do Comercial ganhava confiança com mais lances de ataque, puxados por Leandro e Diogo Acosta. Nas arquibancadas, os torcedores palmeirenses esboçavam protestos com uma suposta falta de garra dos comandados de Felipão contra um time que já estava rebaixado para a segunda divisão estadual.

O último lance do primeiro tempo foi uma falta para o Palmeiras, depois que Marcos Assunção foi derrubado perto da entrada da área. Já nos acréscimos, o volante mandou chute forte, defendido novamente com segurança por Alex.

Com a necessidade da vitória, o Palmeiras voltou com uma alteração na segunda etapa, depois que Felipão trocou o meia Pedro Carmona pelo atacante Fernandão. Logo aos três minutos, a equipe paulistana ficou com um homem a mais em campo, já que o meia Marcelo Labarthe, que estava com cartão amarelo, fez falta dura sobre o lateral Arthur. A vantagem aumentou ao sete, quando o zagueiro Leandro Camilo também cometeu falta duríssima em Maikon Leite e levou vermelho direto.

A despeito das duas expulsões, o Palmeiras não se aproveitou rapidamente da vantagem. Ironicamente, o Comercial, com nove jogadores, ainda levava perigo à zaga palmeirense com contra-ataques rápidos.

Somente depois dos 20 minutos, os primeiros lances mais agudos do Palmeiras começaram a surgir. Aos 22, o lateral Juninho arriscou chute de perna esquerda. A bola desviou na marcação e saiu pela linha de fundo, para desespero da torcida, que já criticava Felipão nas arquibancadas. Aos 24, o zagueiro Leandro Amaro desviou de cabeça na segunda trave e quase marcou, já que o goleiro Alex defendeu em cima da linha. Aos 24, o centroavante Fernandão recebeu cruzamento, tentou uma meia bicicleta, mas pegou muito embaixo da bola, que subiu e levou grande perigo ao gol do Comercial.

Continua após a publicidade

O Palmeiras tentava, mas, nervoso em campo, perdia várias oportunidades de gol. Aos 37 minutos, Vinícius, que havia entrado no lugar de Maikon Leite, teve chance clara na grande área e mandou a bola raspando a trave de Alex, para desespero da torcida palmeirense.

Depois de tanto insistir, o Palmeiras igualou o placar aos 42 minutos. Em um lance rápido, o lateral Juninho cruzou para a área na medida para Fernandão cabecear para o fundo das redes. Quando se imaginava uma virada palmeirense, o Comercial fez o segundo gol aos 45, depois que o atacante Diogo Acosta aproveitou falha de Leandro Amaro, matou a bola no peito e encheu o pé direito, estufando as redes de Deola.

Aos 47 minutos, o zagueiro Henrique ainda empatou para o Palmeiras, de cabeça, quando o jogo atingia momentos dramáticos. O mesmo zagueiro ainda fez o terceiro gol palmeirense aos 51, mas o árbitro anulou o lance, vendo falta do jogador sobre a defesa do Comercial, para tristeza da torcida no Pacaembu, que protestou bastante no final.

FICHA TÉCNICA:

PALMEIRAS 2 X 2 COMERCIAL

PALMEIRAS – Deola; Artur (Tinga), Leandro Amaro, Henrique e Juninho; Chico, Marcos Assunção, Pedro Carmona (Fernandão) e Daniel Carvalho; Maikon Leite (Vinícius) e Barcos. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

COMERCIAL – Alex; Marcelo Ferreira, Leandro Camilo, Fabão (Marcel) e Rafinha (Wellington); Henrique Motta, Ricardo Conceição, Marcelo Labarthe e Jeffinho (Baratella); Leandro e Diogo Acosta. Técnico: Gil Baiano.

GOL – Diogo Acosta, aos 36 minutos do primeiro tempo; Fernandão, aos 42, Diogo Acosta, aos 45, e Henrique, aos 47 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – José Cláudio Rocha Filho.

CARTÕES AMARELOS – Leandro, Marcelo Labarthe, Marcel, Henrique Motta, Marcelo Ferreira, Diogo Acosta e Alex (Comercial); Henrique, Marcos Assunção e Fernandão (Palmeiras).

CARTÕES VERMELHOS – Marcelo Labarthe e Leandro Camilo (Comercial).

RENDA – R$ 197.395,00.

PÚBLICO – 5.363 pagantes.

LOCAL – Estádio do Pacaembu, em São Paulo.

Continua após a publicidade
Publicidade