Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Pai da Democracia Corintiana exalta importância política de Sócrates

Por Da Redação 4 dez 2011, 12h09

O sociólogo Adilson Monteiro Alves, pai do atual diretor cultural do Corinthians, Duilio Monteiro Alves, foi diretor de futebol do clube durante o período que ficou conhecido como a ‘Democracia Corintiana’, liderada entre os atletas por Sócrates.

Amigo do ‘Doutor’, que faleceu na madrugada deste domingo, em São Paulo, Adilson relembrou algumas histórias do craque que revolucionou o comportamento dos jogadores de futebol da época.

‘Sócrates sempre teve a consciência de que ele não era um atleta, de que era um grande jogador de futebol. Aquele grupo era muito consciente, nós junto começamos a participar e o Sócrates era um dos líderes. Muito corajoso, sempre dizendo o que pensava’, declarou o sociólogo em entrevista à Rádio Bandeirantes.

O maior ‘movimento ideológico’ do futebol brasileiro contava com outros ídolos como Casagrande, Wladimir e Zenon. No período, as decisões importantes no time, como as regras de concentração, eram decididas por votação.

Sobre a relação de Sócrates com a bebida alcoólica – nunca negada pelo ex-jogador e principal causa dos seus problemas no sistema digestivo – Adilson contou que era um comportamento natural do ex-craque, que começou a beber ainda quando morava em Ribeirão Preto. Comportamento que o Doutor não escondia nem na época de jogador, inclusive tomando cerveja nos bares do clube.

‘O que nós fizemos de diferente na ?Democracia Corintiana’ foi não esconder que a gente gostava de cerveja. Mas tinha uma curiosidade: antes do jogo, na véspera e no dia, ele não tomava. Mas depois do jogo ele tomava sempre, mas depois de tomar uma garrafa de refrigerante’, contou.

Continua após a publicidade
Publicidade