Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

No 1 clássico, Flamengo e Fluminense duelam em clima de comemoração

Por Da Redação - 10 mar 2012, 20h00

Flamengo e Fluminense fazem neste domingo, às 18h30(de Brasília), no Engenhão, o primeiro clássico da Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca. O duelo, válido pela terceira rodada, está sendo disputado em clima de comemoração. Considerado o clássico mais charmoso do futebol brasileiro, o Fla-Flu está completando um século em 2012. A primeira vez que os dois times se encontraram foi em 7 de julho de 1912. Naquela ocasião o Tricolor, mesmo tendo perdido nove titulares para o rival, ganhou por 3 a 2 nas Laranjeiras.

Outro fator que contribui para o clima festivo da partida são os bons resultados que as duas equipes conseguiram no meio de semana pela Copa Libertadores. O Fluminense surpreendeu ao derrotar o Boca Junior por 2 a 1, em plena La Bombonera, e assumiu a liderança do Grupo 4. O Rubro-Negro, em casa, fez 1 a 0 no Emelec, do Equador, e também aparece na primeira posição do Grupo 2.

As festividades, porém, são deixadas de lado quando a situação das duas equipes na Taça Rio acusa a necessidade de vitória. Ambos somam três pontos, mas necessitam do triunfo para ficarem mais perto da classificação para as semifinais. No fim de semana passado o Tricolor derrotou o Nova Iguaçu por 3 a 0, enquanto que os flamenguistas ganharam do Duque de Caxias por 2 a 1.

A necessidade de vitória neste clássico é opinião compartilhada pelos dois treinadores. Abel Braga, comandante do Fluminense, lembra que o time tropeçou na estreia, perdendo por 2 a 1 para o Resende.

Publicidade

‘Os pontos perdidos naquela ocasião, quando merecíamos uma melhor sorte, sempre podem acabar fazendo falta porque esta Taça Rio está sendo disputada com muito equilíbrio. Portanto, o clássico é sempre uma grande oportunidade de recuperação, pois é aquele típico confronto em que qualquer resultado é normal’, disse Abel.

Joel Santana, técnico do Flamengo, também vem conversando com seus jogadores sobre a necessidade de vitória, pois entende que a Taça Rio ainda vai apresentar muitas dificuldades ao Rubro-Negro.

‘Sempre digo que a Taça Rio é mais complicada do que o primeiro turno porque tem mais clássicos sendo disputados. Logo, os resultados desses jogos entre os grandes podem acabar custando uma eliminação ou até mesmo dando a classificação para as semifinais. Temos que tratar este encontro com a importância que ele merece’, disse Joel.

Os jogadores também parecem convencidos de que uma vitória é fundamental para a sequência da competição. ‘A Taça Rio está muito complicada, podemos acabar tropeçando ainda em alguns jogos contra as equipes de menor investimento, assim como aconteceu na estreia (derrota de 2 a 1 para o Boavista), e, portanto, não podemos deixar de encarar os clássicos com a seriedade que eles pedem’, afirmou o zagueiro David Braz, do Flamengo.

Publicidade

O goleiro do Fluminense, Diego Cavalieri, por sua vez, acredita que o resultado do clássico, além de interferir na pontuação da Taça Rio, tem um impacto moral na sequência do trabalho.

‘Os dois times precisam ganhar não apenas para ficarem melhor posicionados na Taça Rio. Um clássico mexe com o aspecto moral e no meio de semana as duas equipes jogam pela Libertadores. Portanto, ambos precisam ganhar’, disse Cavalieri, lembrando que no meio de semana o Fluminense recebe o Zamora, da Venezuela, e o Flamengo encara o Olimpia, do Paraguai.

Como de costume os dois treinadores não revelam a escalação, mas deverão mandar a campo o que têm de melhor. No Fluminense, porém, o meia Thiago Neves, com dores na coxa direita, vai ficar de fora do clássico para que não venha a sofrer com alguma lesão mais grave. Assim, o argentino Lanzini ganha nova oportunidade entre os titulares. Abel Braga também decidiu preservar alguns titulares desgastados fisicamente. Ficam de fora os laterais Bruno e Carlinhos, o meia brasileiro naturalizado português Deco e os atacantes Wellington Nem e Fred.

No Flamengo os problemas de Joel são maiores. Já estão fora do jogo o goleiro Felipe, que teve uma concussão cerebral na vitória sobre o Duque de Caxias, o lateral direito Leonardo Moura, com dores no joelho direito, o volante Renato Abreu, que descobriu estar sofrendo com um problema cardíaco, e os volantes Willians, que se recupera de uma torção no tornozelo direito, e Aírton, que se submeteu a uma cirurgia por conta de fratura no pé esquerdo. Assim, Galhardo jogará na lateral. O meia argentino Darío Bottinelli, expulso na rodada passada, dá lugar a Deivid.

Publicidade

FICHA TÉCNICA

FLAMENGO X FLUMINENSE

Local: Estádio Olímpico João Havelange, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: 11 de março de 2012, domingo

Publicidade

Horário: 18h30 (de Brasília)

Árbitro: Eduardo Cordeiro Guimarães (RJ)

Assistentes: Dibert Moises (RJ) e Luiz Antônio de Oliveira (RJ)

FLAMENGO: Paulo Víctor, Welinton, Marcos González e David Braz; Galhardo, Muralha, Luiz Antônio, Ronaldinho Gaúcho e Junior Cesar; Vagner Love e Deivid

Publicidade

Técnico: Joel Santana

FLUMINENSE: Diego Cavalieri, Souza, Leandro Euzébio, Digão e Carleto; Edinho, Diguinho, Wagner e Lanzini; Rafael Sóbis e Rafael Moura

Técnico: Abel Braga

Publicidade