Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Na última visita a SP, Boca fechou o estádio do Palmeiras

Argentinos venceram na despedida do Palestra Itália. Nesta quarta, pode jogar a última decisão do arquirrival dos palmeirenses, o Corinthians, no Pacaembu

“Estragaram nossa festa”, recorda o goleiro Bruno, do Palmeiras

O Boca Juniors volta a jogar em São Paulo nesta quarta-feira, diante do Corinthians, dois anos depois de sua última visita à capital paulista – em julho de 2010, foi a equipe convidada para o jogo de despedida do Palestra Itália, estádio do Palmeiras, arquirrival dos corintianos. Na ocasião, a equipe ignorou o clima festivo e venceu o anfitrião por 2 a 0. Curiosamente, a final da Libertadores, a partir das 21h50, pode ser a última grande decisão do Corinthians no Pacaembu, o estádio onde o time mais jogou nas últimas décadas. A expectativa é de que o Itaquerão, futura casa do clube, seja entregue já no ano que vem – pelo menos é o que prevê o cronograma das obras.

Leia também:

Leia também: Recebido com bombas, Boca treina em SP – e Riquelme se poupa

“Era um time bastante diferente, mas já bem difícil. É aquela coisa de time argentino: bem ‘raçudo’, chato de se jogar contra. Estragaram nossa festa”, recorda o goleiro Bruno, do Palmeiras, que participou do amistoso de 2010. Um dos carrascos do Palmeiras na partida, o atacante Viatri, estará no banco de reservas na final desta quarta. O grande vilão nos confrontos com brasileiros, porém, é o meia Riquelme. Ele levou o Boca a superar o Palmeiras na final da Libertadores de 2000 e na semifinal de 2001, sempre em São Paulo. Dois anos depois, o Boca voltou a visitar a capital paulista, já sem Riquelme. Resultado 3 a 1 na final contra o Santos, e Boca campeão da América.

Leia também:

Para o torcedor: por que o Corinthians leva a Libertadores

Para o secador: por que o Corinthians cai na Libertadores

(Com agência Gazeta Press)