Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Mulheres de Varginha fazem protesto contra a contratação de Bruno

Em silêncio, elas exibiram cartazes de repúdio à chegada do goleiro ao clube mineiro

Por Da redação Atualizado em 15 mar 2017, 00h01 - Publicado em 14 mar 2017, 23h37

Um grupo de cerca de 30 mulheres da Frente Feminista Popular fez um protesto no centro da cidade de Varginha, na noite desta terça-feira, contra a contratação do goleiro Bruno pelo Boa Esporte.

  • Em silêncio, as mulheres exibiram cartazes contra a presença de Bruno em Varginha. Elas foram ao protesto usando roupas pretas e máscaras, e tinham nas mãos tinta vermelha, simbolizando o sangue das vítimas de violência. Um dos cartazes dizia “ressocializar, sim, banalizar, não”, em resposta ao argumento da diretoria do Boa de que a contratação de Bruno foi um gesto pela ressocialização do goleiro, que não joga desde 2010.

    Bruno foi condenado em primeira instância a 22 anos de prisão por sequestro, assassinato e ocultação de cadáver de Eliza Samudio. Ele acabou libertado pelo Supremo Tribunal Federal após cumprir seis anos de prisão. Com isso, vai esperar em liberdade pelo julgamento em segunda instância.

    (Com Estadão Conteúdo)

    Continua após a publicidade
    Publicidade