Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Medalhistas no Masters, Camilo e Pessanha travam disputa por Londres

Por Da Redação 15 jan 2012, 15h41

Os brasileiros Tiago Camilo e Hugo Pessanha protagonizam uma briga acirrada pelo direito de representar o Brasil na categorias peso médio dos Jogos Olímpicos de Londres-2012. Ambos conquistaram o bronze no Masters de Almaty-CAZ, neste domingo.

Antes do Masters, Camilo era o quarto colocado do ranking mundial e Pessanha, o 10 . ‘Essa briga continua. Serão mais duas competições para eles: o Grand Slam de Paris e o Grand Prix de Dusseldorf, em fevereiro. Vai ser o xeque mate’, afirmou Ney Wilson, coordenador técnico da Confederação Brasileira de Judô (CBJ).

Estarão classificados para os Jogos Olímpicos de Londres 2012 os 22 homens e 14 mulheres mais bem ranqueados, no limite de um atleta por país em cada categoria. Na reta final da disputa pela vaga, Hugo Pessanha procura não pensar muito na disputa com o compatriota.

‘Cada luta é uma final. Como falta muito pouco para fechar o ranking, qualquer ponto conquistado conta muito. Não tenho pensado muito na minha disputa com o Tiago. A preocupação é sempre fazer uma boa competição e somar pontos no ranking’, disse o judoca.

Enquanto Pessanha luta para disputar a primeira Olimpíada de sua carreira, Camilo quer participar dos Jogos pela terceira vez em três categorias diferentes (o judoca foi medalha de prata no leve em Sydney-2000 e ganhou o bronze no meio-médio em Pequim-2008).

O Brasil tem atualmente 22 judocas dentro do critério de classificação para Londres, distribuídos em 13 categorias. Maria Portela (70kg), 22colocada no ranking, garantiria seu lugar através do sistema de cota continental. Apenas Brasil, França, Japão e Coréia do Sul, além do país sede, possuem representantes em todas as 14 categorias olímpicas.

No Masters de Almaty, encerrado neste domingo, o Brasil ganhou o ouro com Rafael Silva (+100kg) e Mayra Aguiar (78kg) e faturou o bronze com Rafaela Silva (57kg) e Sarah Menzes (48kg), além de Camilo e Pessanha. Superado apenas pelo Japão, o País ficou em segundo no quadro de medalhas do evento.

‘Essas medalhas nos garantem matematicamente em Londres nessas categorias e dão aos atletas uma tranquilidade maior para trabalhar pensando nos Jogos e não na classificação’, disse Ney Wilson, lembrando que a lista final será fechada apenas no dia 30 de abril, após o Pan-americano de Montreal.

O Masters é, depois de Mundial e Olimpíadas, o mais importante torneio e garante 400 pontos ao campeão, 240 para a prata e 160 para o bronze. A programação da Seleção prevê treinamento de campo na Holanda, até o fim da semana, para o feminino e treinamento de campo em São Paulo, com avaliações médicas, para o masculino de 23 a 26 de janeiro.

Continua após a publicidade
Publicidade