Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Mark Webber vence em Mônaco, Fernando Alonso é líder do Mundial

Por Tom Gandolfini - 27 maio 2012, 12h41

O australiano Mark Webber (Red Bull) venceu neste domingo o Grande Prêmio de Mônaco de Fórmula 1 em uma corrida na qual o espanhol Fernando Alonso (Ferrari) terminou em terceiro e se tornou o líder do Mundial.

Webber liderou a corrida do início ao fim e venceu em Mônaco pela segunda vez em dois anos, depois de sua vitória em 2010, tornando-se o sexto vencedor diferente nas seis corridas disputadas neste ano, recorde absoluto desde a criação do campeonato mundial de Fórmula 1, em 1950.

Entre os brasileiros, Felipe Massa, da Ferrari, que largou em sétimo, terminou na sexta posição, enquanto Bruno Senna, da Williams-Renault, ganhou três posições e terminou a corrida em décimo.

O espanhol Alonso, por sua vez, que saiu em quinto lugar, conseguiu recuperar duas posições, tornando-se líder do Mundial com 76 pontos, três a mais que o alemão Sebastian Vettel (Red Bull) e que o australiano Mark Webber (Red Bull).

Publicidade

O espanhol demonstrou mais uma vez a qualidade de sua pilotagem e foi o único dos favoritos capaz de ganhar posições, a primeira na largada e mais uma ao ultrapassar o britânico Lewis Hamilton (McLaren), em uma corrida que se caracterizou pelos poucos movimentos importantes.

Em uma temporada estranha, com seis campeões diferentes em seis provas, e com um carro um pouco inferior em relação ao resto dos candidatos ao título, Alonso está demonstrando que a regularidade é seu truque para tentar conquistar seu terceiro campeonato mundial.

O alemão Nico Rosberg (Mercedes) aguentou a pressão de Alonso e conservou a segunda posição de largada, ao contrário de seu companheiro de equipe e compatriota Michael Schumacher, “pole position” no sábado, que deixou a prova por problemas mecânicos.

O Grande Prêmio de Mônaco teve algumas voltas repletas de emoção, já que, além de começar a chover timidamente, o grupo de pilotos formado por Weber, Rosberg, Vettel, Alonso, Hamilton e Massa chegou a ficar a menos de cinco segundos de diferença entre si, o que dava a impressão de que qualquer detalhe poderia desencadear uma tempestade.

Publicidade

Finalmente venceu a lógica e a corrida terminou como havia começado, com Webber na liderança.

“Foi uma corrida interessante. Foi razoavelmente simples no início, abrindo vantagem com os pneus super macios, e depois era uma questão de tentar abrir uma vantagem antes e depois do pit stop”, disse Webber, de 35 anos, depois da oitava vitória de sua carreira em 183 grandes prêmios.

Publicidade