Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mano indica Elkeson titular contra Argentina: ‘Precisamos nos impor’

Para receber a Argentina, em Belém, Mano Menezes planeja alterar a Seleção Brasileira taticamente. Em casa, o técnico acredita que seu time precisa se impor, diferente do empate sem gols em Córdoba (ARG), quando atuou fora de casa, em uma atmosfera desconhecida. Para isso, vai mudar a escalação do meio-campo.

Mano afirmou, em entrevista coletiva, que o meia Elkeson, do Botafogo, convocado pela primeira vez, faz parte dessa mudança, que já foi feita no segundo tempo do jogo de ida do Superclássico das Américas. O armador Oscar, do Internacional, entrou na vaga de Renato Abreu.

‘Precisamos nos impor mais como Seleção e equipe dentro de campo. Tenho uma ideia de como a Seleção será montada taticamente, um pouco diferente do jogo de Córdoba quando armamos com três no meio. Fora de casa, para minimizar os efeitos, enfrentar um ambiente contrário, pensei um pouco diferente. Elkeson tem a ver com essa maneira. Ele vem jogando desta forma no Botafogo e se destacando. Ele tem força e pode jogar tanto na beirada (do campo) quanto no meio. Taticamente, já vem desenvolvendo bem essa função’, explicou.

Como todos os jogadores convocados para enfrentar a Argentina jogam em times nacionais e há rodada do Campeonato Brasileiro no final de semana, Mano prefere esperar um pouco antes de esboçar onze titulares. O atacante Leandro Damião seria chamado, mas se machucou na última quarta-feira, contra o Figueirense.

‘Vamos torcer para que nada aconteça e possamos contar com todos os jogadores convocados. Vamos manter a base daquele time que jogou lá, com pequenas alterações, principalmente no setor de meio-campo. Temos que ter a capacidade de propor mais o jogo. Para isso, podemos variar posicionamentos’, analisou.

Nesta quinta-feira, Mano também convocou para enfrentar México e Costa Rica, desta vez contando também com jogadores que atuam fora do país. Garantiu que, à princípio, a mudança vale apenas para enfrentar a Argentina e ganhar. ‘O mais importante é ganhar. É assim que construímos a rivalidade entre os dois. Nunca se deve abrir mão de jogar bem e melhorar’, concluiu.