Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Machucado, Fabrício já está fora da estreia são-paulina no Paulista

Por Da Redação 13 jan 2012, 21h53

O sacrifício que Fabrício fez para, mesmo machucado, ajudar o Cruzeiro a evitar o rebaixamento no Campeonato Brasileiro já custa caro em seu novo clube. Com edema no calcanhar esquerdo, o volante está descartado da estreia do São Paulo no Campeonato Paulista, no dia 22, contra o Botafogo de Ribeirão Preto, no Morumbi.

‘O Fabrício não treinou como deveria e é muito melhor se recuperar agora do que atuar em um, dois jogos e ficar meia dúzia no departamento médico’, informou Emerson Leão, que já até cogitava utilizá-lo entre os titulares na posição depois do empréstimo de Carlinhos Paraíba ao Omiya Ardija, do Japão.

Fabrício sofre com o incômodo por conta de um pisão que recebeu no ano passado. Para não desfalcar o Cruzeiro, o meio-campista contou que não fazia nem exames. Tinha a esperança de que, nas férias, estivesse completamente recuperado para atuar pelo São Paulo.

O jogador, entretanto, não participou dos treinos no terceiro dia de concentração no Centro de Formação de Atletas em Cotia e viajou à capital paulista para realizar uma ressonância magnética, que constatou um pequeno edema. No domingo e na segunda-feira, ele passou pelos testes físicos que não pode fazer nos dias anteriores com o elenco e até participou da atividade com bola.

Fabrício, contudo, não treinou nos últimos quatro dias e segue sem previsão para ser liberado. Por isso, o atleta contratado para ser exemplo da postura guerreira que a diretoria deseja impor no elenco já é um desfalque confirmado nove dias antes da primeira partida da temporada.

O reforço, porém, pode recuperar o tempo perdido. ‘Às vezes, um jogador altamente positivo inicia o campeonato falhando porque não está totalmente preparado. Tenho que mantê-lo para render futuramente. É o que aprendemos ao longo da trajetória e com nossa vivência’, falou Leão.

Mas, se o time convencer em suas primeiras atuações, Fabrício terá que esperar. ‘O entra e sai vai continuar acontecendo até eu achar um time-base. Mas, se o time iniciar o campeonato muito bem, por que vou mexer e ser injusto? Alguns podem ficar chateados, mas coerência é ficar quem mostra qualidade’, já antecipou o técnico.

Continua após a publicidade
Publicidade