Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Lucas não se acha ‘fominha’, mas Leão condena individualismo

‘É minha característica’, justificou Lucas após a vitória por 3 a 1 do São Paulo sobre o Paulista de Jundiaí na última quinta-feira. Apesar da manifestação, o técnico Emerson Leão garantiu que o camisa 7 do Tricolor exagerou nas firulas e nos dribles em momentos inadequados e precisa pensar mais antes de executar cada fundamento dentro de campo.

O meia-atacante foi um dos principais personagens da vitória que deixou o São Paulo na segunda colocação do Estadual, ofuscado apenas pelo artilheiro Willian José, que marcou três vezes e definiu o placar, mas não sem a ajuda de Lucas. O jogador deu consistência ao esquema armado por Leão sendo ativo na ponta direita, já que Rodrigo Caio, o volante improvisado na lateral, não tinha tanta liberdade para atacar.

Lucas reconhece que faltou ‘dosar’ o individualismo, mas negou que seja um jogador ‘fominha’, que não colabora com os companheiros: ‘Prendi a bola sim, porque é a característica de todo jogador velocista e habilidoso como eu. O negócio é que precisamos perceber e dosar as jogadas, não tem jeito, tem que saber. Quando eu soltei a bola saíram gols, jogadas. Espero que a equipe siga vencendo com minha ajuda’.

Após a partida, o técnico Emerson Leão condenou o individualismo, mas garantiu que Lucas ainda tem muito a aprender e está surpreendendo em uma nova função dentro do São Paulo: a tática.

‘Existem alguns momentos em que é necessário não ser individualista, mas o Lucas é um jogador essencialmente técnico e que não joga se não tiver a bola nos pés. Ele está sendo moldado em uma nova formação, com mais opções para melhorar seu futebol. Vamos conversar sobre esse individualismo que não é egoísmo’, analisou Emerson Leão, que já teme não ter Lucas no ‘Choque-Rei’ do final de semana pós-Carnaval.