Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Liverpool reclama da divisão dos direitos de televisão

Por Da Redação 12 out 2011, 10h10

O Liverpool está descontente com a divisão dos direitos televisivos do Campeonato Inglês. A principal crítica do chefe-executivo do clube, Ian Ayre, diz respeito às cotas internacionais, atualmente repartidas igualmente para todos os membros da Premier League. O atual contrato tem vigência de três anos e está na metade.

Segundo uma pesquisa da agência de consultoria de marketing esportivo Sport+Markt, 70% dos fãs de futebol, ou 1,46 bilhão de pessoas, acompanham o futebol da Inglaterra. O argumento do dirigente do Liverpool é que a maioria apoia o seu clube, assim como Manchester United, Arsenal e Chelsea. O clássico entre Liverpool e os Red Devils, no sábado, vai ser transmitido para 212 países.

‘Se você é um torcedor do Bolton em Bolton, você assina a tv a cabo para assistir ao Bolton, e se você é fã do Liverpool em Liverpool, assina para assistir ao Liverpool, mas não há ninguém em Kuala Lampur (Malasia) assinando a ESPN para assistir ao Bolton. Se há, é um número muito pequeno. Nós definitivamente acreditamos que, em algum momento, é preciso acontecer um rebalanceamente, pois o que estamos fazendo no momento nos prejudica em relação aos outros grandes clubes europeus’, explicou.

A revolta do Liverpool não deve ser compartilhada por muitos clubes da Premier League. Para algo mudar, seria necessário o apoio de dois terços dos presidentes dos clubes. Desta forma, é improvável que alguma mudança substancial aconteça antes da negociação do novo contrato, em 2013.

Ayre aponta que o modelo da Espanha é o ideal. Real Madrid e Barcelona negociam seus contratos separadamente e ganham R$ 363 milhões por ano, o dobro do valor dos clubes ingleses e muito mais que os outros espanhóis. A liga inglesa contra-argumenta que o seu grande trunfo é justamente o equílibrio.

‘Se o Real Madrid e o Barcelona têm a oportunidade de realmente internacionalizar seu potencial de mídia, porque Liverpool e Manchester United não podem? Nós apenas dividimos o nosso porque somos legais? O fenômeno da Premier League pode estar ameaçado. Se os clubes espanhóis continuarem a crescer, todos os jogadores vão para lá’, reclamou.

Continua após a publicidade

Publicidade