Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Jogadores do Santos começam a pensar no Barcelona

Time brasileiro venceu o Kashiwa Reysol por 3 a 1 no jogo de estreia do Mundial de Clubes, nesta quarta

A vitória por 3 a 1 sobre o Kashiwa Reysol colocou o Santos na final do Mundial de Clubes e deixou os jogadores mais aliviados, sem o peso e a pressão da partida de estreia. Todos comemoraram a vitória desta quarta-feira e já começaram a projetar uma possível decisão contra o Barcelona, que enfrentará o Al-Sadd na quinta, em busca de uma vaga na final.

“Passou a ansiedade de fazer uma bela estreia. Enfrentamos uma equipe com bom toque de bola, esperta. Agora é concentrar para a final”, disse Borges, que marcou o segundo gol do Santos, e exaltou o desempenho do setor ofensivo, aproveitou as oportunidades que teve. “Esperamos que na final estejamos desse mesmo jeito. Temos que aproveitar as chances que nos darão o título”. O meia Elano reconheceu o favoritismo do Barcelona, mas avisou que não pretende deixar o Mundial derrotado. “Perder nunca é bom, independentemente do adversário. O Barcelona é melhor, mas acredito muito no meu time”, disse. “Vamos nos preparar ainda melhor nos próximos dias. É um time com posse de bola e toque refinado. Teremos que atuar em conjunto e agrupados”. O lateral-direito Danilo minimizou a maior posse de bola do Kashiwa Reysol e avisou que a situação vai se repetir em uma possível final contra o Barcelona. Mas, para ele, o contra-ataque poderá ser a principal arma do Santos. “Se você for ver, em todos os nossos jogos não temos mais posse de bola. Pode dificultar, mas temos contra-ataque forte e rápido, que deu certo o ano inteiro”. Já o zagueiro Edu Dracena minimizou as críticas ao sistema defensivo e exaltou o Kashiwa Reysol, mas admitiu que o Santos precisa melhorar para a decisão. “Não jogamos com qualquer time, eles eliminaram o Monterrey. E tivemos falhas de marcação que precisamos corrigir para não dar tanta chance ao adversário”. (Com Agência Estado)