Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Jerome Valcke pede desculpas e afirma que foi mal interpretado

Brasília, 5 mar (EFE).- O secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, pediu desculpas nesta segunda-feira ao ministro do Esporte, Aldo Rebelo, e afirmou que suas supostas declarações nas quais criticava com palavras fortes os atrasos para a Copa do Mundo de 2014 foram mal interpretadas.

Em carta dirigida a Rebelo e publicada no site oficial da Copa criado pelo Governo Federal, Valcke lamentou ‘profundamente’ que a ‘interpretação incorreta’ de suas palavras tivesse ‘causado tanta preocupação’.

Na sexta-feira, Valcke criticou em Londres as demoras dos trabalhos de infraestrutura para o Mundial e, segundo ele, uma das partes do discurso em francês foi mal traduzida para o português.

De acordo com o secretário-geral, a expressão ‘se donner un coup de pied aux fesses’ significa literalmente ‘dar um chute no traseiro’, mas é usada também como uma chamada para ‘correr contra o tempo’.

‘Infelizmente essa expressão foi traduzida para o português usando palavras muito mais fortes’, justificou Valke, reiterando que ‘o Brasil é e sempre será a única opção para ser sede da Copa do Mundo de 2014’, apesar de admitir que existe uma ‘preocupação’ pelos atrasos.

‘Há certamente um ar de preocupação na Fifa e sendo eu, em última análise a pessoa responsável por esta Copa do Mundo, estou sob bastante pressão. A Copa do Mundo é a chave de todo nosso sistema. Estou confiante que não existe nenhum problema que não possa ser superado com o esforço da Fifa e do governo brasileiro’, escreveu.

O pedido de desculpas coincidiu com uma carta oficial apresentada hoje por Rebelo à Fifa na qual pede que Valcke seja substituído de sua função como interlocutor da entidade com o Governo Federal, decisão que foi anunciada pelo ministro no sábado passado.

Na carta de hoje, dirigida ao presidente da Fifa, Jospeh Blatter, Rebelo reiterou que o governo recebeu ‘com susto as inapropriadas declarações’ de Valcke, que alteraram a ‘convivência harmônica’ entre o país e a entidade.

Depois das supostas declarações de Valcke, várias autoridades brasileiras se pronunciaram sobre o assunto.

O assessor especial para assuntos internacionais da Presidência, Marco Aurélio Garcia, chamou Valcke de ‘canalha’, momentos antes de participar da cerimônia inaugural da feira de informática CeBIT.

O presidente do Senado, José Sarney, e uma comissão especial da Câmara dos Deputados que discute a Lei Geral da Copa também repudiaram as críticas e consideraram que a atitude do secretário-geral da Fifa foi uma ‘intromissão grosseira e inaceitável’.

Por sua vez, o deputado e ex-jogador Romário usou o Twitter para chamar Valcke de ‘mal-educado’, mas considerou que ele ‘tem 100% de razão quando diz que o Brasil está atrasado’. EFE