Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Itália contém ‘Fúria’ espanhola na sua estreia pela Eurocopa

Por Pierre-Philippe Marcou 10 jun 2012, 17h21

A seleção da Espanha, atual campeã mundial e europeia, empatou em 1 a 1 com a Itália neste domingo em Gdansk, na estreia das duas equipes pelo grupo C da Eurocopa-2012.

A ‘Squadra Azzurra’ saiu na frente aos 16 minutos do segundo tempo com um gol do atacante Antonio Di Natale, que acabara de entrar em campo no lugar de Mario Balotelli.

A alegria dos italianos durou pouco, já que Cesc Fábregas, escalado como titular na ponta do ataque espanhol, deixou tudo igual três minutos depois.

A Itália surpreendeu com um jogo mais ofensivo do que o previsto e seus jogadores saíram de campo comemorando o resultado, já a Espanha era apontada como favorita no duelo entre os dois últimos campeões mundiais.

O técnico italiano, Cesare Prandelli, também ficou satisfeito. “Eles reagiram rápido e empataram logo depois da nossa equipe abrir o placar, não foi à toa que venceram a última Copa do Mundo. Teria sido melhor controlar mais a partida, mas são coisas que acontecem. Temos que melhorar muito ainda, mas este resultado é fantástico”, comemorou.

Já o treinador espanhol, Vicente Del Bosque, reconheceu a boa atuação do adversário. “A Itália nos enfrentou de igual para igual. Não estou frustrado, porque fornecemos um esforço extraordinário, contra uma equipe que não se contentou apenas em defender. Após o gol de empate, poderíamos ter buscado a vitória porque terminamos melhor”, afirmou.

Os espanhóis tentarão vencer sua primeira partida na competição contra a Irlanda, na quinta-feira em Gdansk, enquanto os italianos enfrentarão a Croácia, em Poznan.

Para o choque deste domingo, Prandelli armou um esquema cauteloso, com três zagueiros e um meio de campo muito compacto, deixando pouquíssimos espaços para o adversário, mas sem abrir mão de atacar.

Já Del Bosque surpreendeu ao deixar no banco os atacantes Fernando Torres e Álvaro Negredo, para escalar na posição Cesc Fábregas, acostumado a jogar como meia no Barcelona.

No Barça, este esquema tático sem um verdadeiro centroavante dá certo porque conta com o melhor jogador do mundo, o argentino Lionel Messi, na ponta do ataque.

Fábregas mudava de posição com David Silva, o que dava muita mobilidade à equipe, mas a ‘Furia’ carecia de um ‘matador’ na conclusão das jogadas.

A Espanha teve sua primeira chance de gol aos 9 minutos de jogo, quando Silva mandou uma bomba de canhota, mas a bola foi para a arquicandada.

Continua após a publicidade

No entanto, a Itália levou mais perigo no primeiro tempo e deu o primeiro susto aos espanhóis aos 23, com um chute de Antonio Cassano que passou rente à trave do goleiro Iker Casillas, que salvou sua equipe duas vezes no fim da primeira etapa.

Na primeira, fez uma defesa espetacular num chute de longa distância de Claudio Marchisio aos 35, antes de parar com uma mão só uma cabeçada do brasileiro naturalizado italiano Thiago Motta, após um cruzamento de Andrea Pirlo logo antes do intervalo.

A Espanha começou melhor na volta do vestiário. Aos 6 do segundo tempo, o goleiro italiano Gianluigi Buffon espalmou para escanteio um chute perigoso de Fábregas.

A Itália reagiu aos 9, mas Balotelli perdeu uma chance inacreditável quando ficou cara a cara com Casillas, mas ‘cochilou’, demorou muito para chutar e foi desarmado por Sergio Ramos.

Furioso, Prandelli tirou Balotelli logo em seguida e a mudança surtiu efeito, porque foi justamente seu substituto, o veterano Di Natale, de 34 anos, que abriu o placar na sua primeira jogada.

O atacante da Udinese recebeu um ótimo lançamento de Pirlo e chutou cruzado sem chances para Casillas.

Enquanto os torcedores italianos ainda comemoravam, Fábregas empatou aos 19, ao receber um bom passe de David Silva na conclusão de uma jogada iniciada por Iniesta.

Este gol deu mais ânimo à Espanha, que teve um novo gás com a entrada de Jesus Navas no lugar de Silva aos 20.

Dez minutos depois, Del Bosque finalmente resolveu colocar um centroavante em campo, Fernando Torres, no lugar de Fábregas.

O atacante do Chelsea tentou se destacar logo depois da sua entrada, aos 30, quando ficou cara a cara com Buffon, mas se atrapalhou na tentativa de driblar o goleiro italiano, que venceu o duelo com maestria.

Torres desperdiçou outra grande chance aos 40. ‘El Niño’ recebeu um grande passe de Navas, mas tentou encobrir Buffon e acabou mandando a bola por cima do gol.

A Itália continua invicta contra a Espanha em competições oficiais desde os Jogso Olimpicos de Antuérpia-1920.

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)