Clique e assine com até 92% de desconto

Interlagos na chuva? Há 23 anos, Senna brilhou em temporal

Com a pista totalmente encharcada, o brasileiro tricampeão do mundo acelerou e festejou no Autódromo de Interlagos em 1993

Por Alexandre Salvador Atualizado em 13 nov 2016, 14h04 - Publicado em 13 nov 2016, 13h17

As fortes gotas que caíam na manhã deste domingo sobre o circuito de Interlagos me fizeram lembrar da infância. Felizmente para quem não nasceu na década de 1980, como eu, existe a internet para rememorar momentos os quais alguém não tenha presenciado. O que a chuva incessante me fez recordar foi o Grande Prêmio Brasil de 23 anos atrás. Foi a última vitória de Ayrton Senna na pista onde o tricampeão do mundo nasceu para o automobilismo.

Reconto, com ajuda de algumas reproduções da internet, a corrida histórica daquele 28 de março de 1993.

1. Começo no seco

Senna não tinha o melhor carro daquele ano. Por essa razão largou em terceiro, logo atrás do francês Alain Prost e do inglês Damon Hill, ambos pilotando a mítica Williams FW15C. Mas, logo na primeira curva, Senna venceu Hill e assumiu a segunda colocação.

2. Tudo dando errado

Além de não contar com um carro que pudesse competir com as Williams – na cena abaixo, Senna ultrapassado por Damon Hill -, o brasileiro ainda sofreu uma punição de 10 segundos parado nos boxes por ter feito uma manobra arriscada ao ultrapassar um retardatário. Senna caiu para quarto.

3. Reviravolta na chuva

Eis que o céu de São Paulo pretejou. Na 27ª volta, a chuva torrencial tornou o asfalto de Interlagos praticamente uma pista de sabão. Senna logo notou que a água se intensificaria e trocou os pneus pelas versões de chuva. Alain Prost, por sua vez, insistiu nos pneus slick. Duas voltas depois, a 29ª da corrida, Prost perdeu o controle do carro no S do Senna e bateu no carro de Christian Fittipaldi, parado no meu da pista.   

4. Relargada e show de Senna

Após o acidente de Prost, o Safety Car foi colocado na pista por sete voltas. Na relargada, já com tempo seco, Hill liderava a prova. Senna, então, se antecipou mais uma vez. Foi aos boxes e colou pneus lisos, mesmo com a pista ainda molhada. Era esse o grande diferencial do brasileiro, a capacidade de guiar na chuva. Na 41ª volta, Senna alcançou Hill, e efetuou uma das ultrapassagens mais marcantes de sua carreira.

5. Bandeirada e invasão de pista

Foi a 37ª vitória de Senna na Fórmula 1, a segunda e última em Interlagos. Após cruzar a linha de chegada, o público presente ao Autódromo José Carlos Pace entrou em êxtase. A euforia foi tamanha que houve invasão de pista, e rapidamente o carro do brasileiro estava cercado de torcedores. Senna teve que parar o McLaren e sair do cockpit, vibrando junto com a torcida.

Continua após a publicidade
Publicidade