Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Inglaterra pode adotar tecnologia para definir se bola entrou

Novidade seria testada no Campeonato Inglês a partir de 2012, revela dirigente

A Fifa divulgou quatro exigências básicas para aceitar qualquer teste com a tecnologia na linha do gol

Na história das Copas do Mundo, a Inglaterra participou das duas maiores polêmicas envolvendo lances duvidosos na linha do gol – em 1966, teve um lance duvidoso validado na final contra a Alemanha; em 2010, não teve um gol legítimo marcado numa partida contra a mesma adversária (relembre os lances nos vídeos abaixo). Nada mais adequado, portanto, que deixar para os ingleses a missão de testar uma inovação no futebol: a adoção da tecnologia para tirar dúvidas sobre bolas próximas à linha do gol.

O uso de aparatos eletrônicos para determinar se uma bola entrou ou não no gol pode começar a vigorar no Campeonato Inglês a partir do ano que vem, revelou nesta quinta-feira um dirigente inglês. Atualmente, nove sistemas estão sendo testados por uma empresa contratada pela Fifa, e o resultado final deve sair em julho de 2012. “É possível que o sistema seja usado já na temporada 2012-2013. É fácil cometer erros, e todos já vimos exemplos de quando o árbitro e os assistentes não conseguem ver se a bola ultrapassou a linha ou não. Temos de ajudá-los nessa decisão”, disse o secretário-geral da Associação Inglesa, Alex Horne, em entrevista à rede britânica BBC.

Exigências – Tecnologias utilizadas em outros esportes, como no tênis, podem ser adaptadas ao futebol. Entre os sistemas concorrentes também há aquele que utiliza um chip na bola que detecta quando ela ultrapassa a linha do gol. Antes reticente em relação ao uso de tecnologia, a Fifa abrandou sua posição após a Copa de 2010, quando um gol do inglês Frank Lampard não foi validado nas oitavas de final contra a Alemanha. Ainda assim, a entidade fez algumas exigências básicas para aceitar qualquer teste com a tecnologia.

A Fifa listou quatro critérios para que os novos sistemas sejam aprovados: a tecnologia deve se restringir ao gol, o sistema deve ser seguro e confiável, a confirmação do gol deve ser imediata e apenas a arbitragem deve ser comunicada sobre o resultado. Os sistemas que seguirem estes critérios passarão para a segunda fase de testes, que será realizada entre março e junho de 2012. Um mês depois, a International Board, órgão que regula as regras do futebol, decidirá se permite o uso da tecnologia em partidas oficiais.

(Com agência Gazeta Press)