Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Henrique alerta o Santos: Não podemos cometer os mesmos erros

Por Da Redação - Atualizado em 19 jul 2016, 14h01 - Publicado em 23 maio 2012, 14h07

Precisando vencer o Vélez Sarsfield (Argentina) por dois gols de diferença, na partida desta quinta-feira, na Vila Belmiro, para chegar às semifinais da Copa Libertadores da América, o Santos tem consciência de que deve melhorar o futebol para este novo duelo entre as duas equipes.

O volante Henrique, por exemplo, alertou o Peixe de que será necessário uma postura totalmente diferente em relação à derrota no jogo da última quinta, em Buenos Aires.

‘Acho que temos de jogar como a gente vinha fazendo. Na Argentina, nós não jogamos o que a gente sabe. Foi uma partida atípica, totalmente abaixo do esperado. Por isso, para reverter o placar, nós temos que jogar muito mais do que na semana passada. Não podemos cometer os mesmos erros’, disse Henrique, que vem exercendo a função de lateral direito improvisado, com a contusão do uruguaio Fucile – em tratamento de uma entorse no pé esquerdo.

Mesmo destacando que os santistas precisam jogar melhor dentro de casa, o polivalente jogador espera que o time tenha calma durante os 90 minutos para construir o resultado que precisa. Vale lembrar que, em caso de triunfo alvinegro por 1 a 0 diante dos argentinos, a vaga será decidida nas cobranças de pênaltis.

Publicidade

‘Vamos entrar com a motivação sempre lá em cima, para a gente fazer valer a força da Vila, em busca do resultado. Vamos entrar querendo a vitória, lógico, mas precisamos ter tranquilidade para não cairmos na ansiedade e no nervosismo. Temos que repetir o que vínhamos fazendo no Campeonato Paulista’, comentou.

Já sobre o aspecto físico, Henrique vê a equipe descansada, após a folga dos titulares diante do Bahia, no último domingo, na estreia do Brasileirão, e preparada para fazer uma grande exibição contra o Vélez.

‘Foi proveitoso para todo mundo esse período sem jogar. Pudemos descansar para um compromisso tão importante, no qual temos de reverter um placar adverso. Temos que fazer gols e não podemos tomar. Precisamos ter segurança na defesa e eficiência no ataque, para sairmos com a vaga às semifinais (da Libertadores)’, encerrou.

Publicidade