Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Geninho reafirma confiança na Portuguesa após vitória

Por AE

São Paulo – A vitória da Portuguesa sobre o São Paulo, por 1 a 0, foi muito comemorada nos vestiários do Canindé. Os jogadores deixaram nos rostos uma alegria muito grande e o técnico Geninho aproveitou para falar, até de forma exagerada, na coletiva de imprensa. E manteve o discurso de que a Lusa tem jogado sempre para vencer, que está se ajustando e deve pensar na frente e “não no fundo do poço, porque daí o cachorro morde”.

“A vitória dá um alento para a nossa torcida. Porque conquistada foi contra um adversário forte, tradicional e que veio mordido pela eliminação na Copa do Brasil. Mas a Portuguesa mereceu a vitória, porque fomos para cima, apertamos no segundo tempo e conseguimos o gol da vitória. Depois sofremos uma pressão, já esperada e natural, mas foi nosso time que teve mais chances reais. Se tivéssemos feito mais um ou dois gols não seria exagero”, disparou o treinador.

Ele ainda lembrou que “o time já vinha jogando bem, mesmo em algumas derrotas e que alguns resultados foram muitos fortes para nós”, como a derrota para o Vasco por 1 a 0, e a goleada diante do Fluminense, por 4 a 1, na rodada passada, no Rio de Janeiro.

Sobre o seu time, ele fez questão de elogiar alguns jogadores, como o estreante Dida, pela tranquilidade que passou aos companheiros; a entrada do lateral-esquerdo Ivan, de 19 anos, que fez o gol da vitória; o também estreante Viana, no ataque, que foi para o sacrifício por ter treinado pouco; e a excelente performance do volante Guilherme, que apresentou o “seu verdadeiro futebol”.

Antes de abandonar os microfones, nunca antes tão usados por ele, o técnico Geninho alertou que a tabela dos próximos jogos é complicada, como todo o campeonato. “Você acaba de destruir um caminhão de brita e vem outro em seguida. E não pode ter medo disso”, finalizou.

Na próxima rodada, a Portuguesa vai receber o Santos, de novo no Canindé, dia 1.º de julho. Por enquanto o time soma sete pontos, fora da amaldiçoada zona de rebaixamento.