Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Funkeiro e bom de bola, Jaime é o ‘palhaço’ da campeã Portuguesa

Por Da Redação 10 nov 2011, 06h23

Reserva, o zagueiro Jaime teve participação discreta na campanha do título da Portuguesa na Série B. Fora das quatro linhas, porém, o jovem de 21 anos assumiu uma importante função: animar o elenco com brincadeiras, piadas e até um funk.

Antes de atender a reportagem da GE.Net para apresentar a música que já caiu nas graças do grupo, o ‘palhaço’ Jaime incentivava os colegas a, disfarçadamente, se posionarem atrás do meia Edno, que concedia entrevista para emissoras de televisão, para aparecerem de fundo na imagens.

‘A rapaziada gosta da alegria, né? Não pode deixar isso de fora’, justificou o defensor, pouco antes de Júnior Timbó, Ivo e Leandro Love aparecerem cantando o funk conhecido como ‘Jaime da Portuguesa’.

Ouça o funk do zagueiro bom de bola:

‘Foi um parceiro meu lá do Rio de Janeiro que produziu. Eu mostrei para a rapaziada, eles gostaram e estamos curtindo aí, legal’, conta o zagueiro que, de acordo com a letra, é bom de bola o suficiente para marcar o santista Neymar.

O duelo aconteceu no Paulistão deste ano e as lembranças não são positivas para Jaime, já que o garoto do Peixe marcou dois gols e distribui dribles desconcertantes nos marcadores rubro-verdes durante a vitória de sua equipe por 3 a 0, na Vila Belmiro.

‘Eu e o Maurício nos desentedemos, ele cortou efez o gol. Mas é manter a cabeça erguida porque da próxima vez vai dartudo certo para a gente’, comenta o beque, sem tirar o sorriso do rosto para negar que o corte moicano que exibe seja uma homenagem ao atacante. ‘Meu cabelo é estilo Jaime, pô. Não tem nada de Neymar (risos)’.

Enquanto a maioria dos atletas e até a diretoria apontam o trabalho do técnico Jorginho como ponto mais importante da campanha lusitana na Segundona, Jaime cita a harmonia do plantel como fator preponderante. ‘Eu vim da base e posso dizer que esse elenco é extraordinário, muito legal de trabalhar, com um pessoal humilde. É por isso que a gente chegou onde chegou’.

Continua após a publicidade
Publicidade