Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Federer quer começar 2012 como terminou 2011

Por Marwan Naamani 1 jan 2012, 18h53

O tenista suíço Roger Federer, invicto nas 17 últimas partidas oficiais que disputou, espera levantar seu quarto troféu consecutivo em dois meses no torneio de Doha, que começa nesta segunda-feira, após os títulos conquistados na sua cidade natal de Basel, no Masters 1000 de Paris e no ATP Finals de Londres.

“Este foi o melhor fim de temporada da minha carreira e estou muito orgulhoso por isso. Não vejo a hora de começar o novo ano”, afirmou Federer, atual número 3 do mundo, recordista absoluto de vitórias em torneios do Grand Slam (16), nos quais passou em branco no ano passado pela primeira vez desde 2003.

Aos 30 anos, o suíço terá a oportunidade de acabar com este jejum daqui a duas semanas, no Aberto da Austrália.

Federer terá outra meta em 2012, a de voltar à posição de número 1 do mundo, para tentar quebrar o recorde de Pete Sampras, que passou 286 liderando o ranking da ATP. Basta permenecer na liderança por duas semanas para que ele possa alcançar esta marca.

“De repente, comecei a jogar bem e ganhei 17 partidas consecutivas. Estou num momento em que, ao conquistar mais um título do Grand Slam ou algo deste tipo, as pessoas vão começar a falar sobre mim novamente. As coisas estão começando a ficar interessantes e isto me entusiasma”, revelou o tenista em entrevista ao New York Times.

O suíço também sonha em conquistar a medalha de ouro na prova de simples das Olimpíadas de Londres-2012, um dos únicos títulos que faltam na sua vitoriosa carreira, já que ‘apenas’ venceu o título olímpico nas duplas, em Pequim em 2008, com o compatriota Stanislas Wawrinka.

Para voltar ao topo, Federer terá uma tarefa difícil, já que precisa superar o atual número um do mundo,o sérvio Novak Djokovic, que lidera com folga o ranking da ATP após um ano de 2011 excepcional no qual somou 10 títulos (3 em torneios do Grand Slam) e um retrospecto incrível de 70 vitórias e apenas 6 derrotas.

Na sexta-feira, Djokovic mostrou que apesar de ter tido um fim de ano delicado por causa de lesões, ainda é o melhor tenista da atualidade, ao atropelar Federer por 6-2 e 6-1 na semifinal do torneio de exibição Abu Dabi, que venceu ao superar o espanhol David Ferrer na decisão, pelo mesmo placar de 6-2 e 6-1.

O sérvio não participará do torneio de Doha, mas Federer terá rivais de peso como espanhol Rafael Nadal, número 2 do mundo, seu carrasco na final de Roland-Garros, e o francês Jo-Wilfried Tsonga (nº6).

Continua após a publicidade

O francês já avisou que começará 2012 “mais forte mentalmente”, referindo-se às duas derrotas que sofreu contra o suíço nos dois últimos torneios oficiais da temporada, no Masters 1000 de Paris e no ATP Finals de Londres.

Cabeças de chave do torneio de Doha:

1. Rafael Nadal (ESP)

2. Roger Federer (SUI)

3. Jo-Wilfried Tsonga (FRA)

4. Gaël Monfils (FRA)

5. Viktor Troicki (SRV)

6. Alex Bogomolov (EUA)

7. Mikhail Youzhny (RUS)

8. Andreas Seppi (ITA)

Continua após a publicidade
Publicidade