Clique e assine a partir de 9,90/mês

Exame prova que torcedor do Mineirão foi agredido antes de morrer

Informações iniciais falavam em infarto, mas testemunhas garantem que Eros Dátilo Belizardo foi agredido por seguranças do estádio antes de morrer

Por da redação - Atualizado em 28 out 2016, 09h45 - Publicado em 28 out 2016, 09h41

A morte de um torcedor do Cruzeiro, durante a derrota da equipe mineira para o Grêmio, na última quarta-feira, pela Copa do Brasil, ainda não foi plenamente esclarecida. As informações iniciais davam conta de que Eros Dátilo Belizardo, de 37 anos, havia sofrido um infarto nas arquibancadas, antes de ser levado ao hospital Odilon Behrens, na região central de Belo Horizonte. No entanto, uma nota da Secretaria Municipal de Saúde comprovou que Eros foi agredido antes de morrer – segundo testemunhas, pelos seguranças do estádio.

Segundo a nota, “o paciente E.D.B deu entrada no Hospital Metropolitano Odilon Behrens às 23h07, encaminhado via ambulância privada que atende no Mineirão. O paciente chegou ao hospital já sem vida – apresentando múltiplos traumas – e o óbito foi oficialmente declarado às 23h16”.

Também em nota, a Polícia Civil, que abriu inquérito para apurar as causas da morte do torcedor, afirmou que o exame realizado no Instituto Médico Legal (IML) constatou “sinais externos de trauma”. No entanto, de acordo com a polícia, “essas lesões não justificam o óbito”. Por essa razão, ainda segundo a polícia, serão necessários outros exames, cujos resultados deverão estar prontos em 30 dias.

Segundo o boletim de ocorrência registrado, seguranças do Mineirão mobilizaram o torcedor que começou a passar mal. De acordo com a equipe que trabalhava no local, cruzeirenses tentaram passar de um setor para o outro, algo não permitido. No entanto, segundo testemunhas, Eros teria sido levado para uma sala, com dois seguranças, e saiu de lá desacordado, após cinco minutos.

Continua após a publicidade

A Minas Arena, empresa responsável pela administração do Mineirão, lamentou o ocorrido e disse em nota que “tem total interesse no esclarecimento ao assunto”. O texto diz ainda que “o socorro foi prestado ao torcedor, imediatamente, pela equipe médica em serviço na partida. Ele foi levado de ambulância ao posto médico localizado dentro do estádio, atendido pela equipe médica de plantão e encaminhado ao Hospital Odilon Beherens onde, infelizmente, veio a óbito”.

O Cruzeiro também se manifestou. “O Clube está acompanhando de perto os esclarecimentos do fato para que toda a sociedade possa ser informada sobre os motivos que levaram o nosso torcedor a óbito. À família de Eros Datilo fica a solidariedade de todos do Cruzeiro Esporte Clube em um momento de imensa dor”, diz um dos trechos da nota.

(com Estadão Conteúdo e Gazeta Press)

Publicidade