Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Eto o admite que o dinheiro definiu sua transferência para o Anzhi

Por Da Redação - 6 out 2011, 10h29

Após trocar a Inter de Milão pelo Anzhi Makhachkala, onde recebe o melhor salário do futebol mundial atual, Samuel Eto o deixou claro que o dinheiro não foi decisivo para firmar sua transferência. Entretanto, nesta semana, o camaronês alterou seu discurso e admitiu que a proposta milionária firmou seu rumo para a Rússia.

Questionado quanto ao dinheiro ser decisivo para trocar o futebol da Velha Bota pelo frio da Rússia, Eto o deixou claro que jogador algum no mundo trabalha apenas pelo prazer de jogar futebol.

‘Para que trabalhos na vida? Quem disser que não trabalha por dinheiro é hipócrita, mas respeito as opiniões de cada um. Para mim, o mais importante é dar chance às crianças africanas para se tornarem jogadoras de futebol um dia’, disse o camaronês.

Dono de um salário de 20 milhões de euros anuais (aproximadamente R$ 48,5 milhões), Eto o, ainda se disse feliz atuando no futebol russo. ‘Propuseram uma maneira de trabalhar diferente e me pareceu correta. Estou muito feliz porque as coisas estão saindo melhor do que eu esperava’ comemorou o jogador, que ainda lembrou com carinho seus anos sob o comando de Mourinho e Guardiola, na Inter de Milão e no Barcelona, respectivamente.

Publicidade

‘Mourinho é o melhor técnico da atualidade, sem dúvidas. Também tive muita sorte de ser treinador por Guardiola, que é simplesmente fora de série. Porém, aprendi mais sob o comando de Mourinho, tanto como técnico quanto como pessoa’, encerrou Eto o.

Publicidade