Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Em semifinal épica, Djokovic vence Murray e enfrenta Nadal na final

Sergio Morro.

Melbourne, 27 jan (EFE).- O tenista sérvio Novak Djokovic venceu o escocês Andy Murray numa semifinal épica do Aberto da Austrália, em parciais de 6-3, 3-6, 6-7(4), 6-1 e 7-5, após quatro horas e 50 minutos de partida, e agora enfrentará o espanhol Rafael Nadal na final do torneio.

A semifinal, uma reedição da final do ano passado, foi uma ode ao tênis, disputada em alta intensidade, o que provocou um enorme desgaste físico e mental nos dois tenistas. O escocês, no entanto, pagou caro pelo quarto set, que deu de bandeja para o sérvio.

Diante de um Murray nervoso, Djokovic começou mandando no jogo e venceu o primeiro set. Parecia que o número 1 do mundo venceria facilmente a partida quando abriu 2-0 no segundo set, mas o escocês não se abateu e transformou a partida numa verdadeira batalha, disputada em pontos muito longos, e com isso virou o placar para 4-2.

Nenhum dos dois jogadores acertava o primeiro saque e as quebras de serviço, mas o britânico conseguiu empatar a partida.

Após quase duas horas de partida, Djokovic se sentou com o olhar perdido durante o intervalo e parecia mais cansado do que seu rival. O terceiro set foi antológico e esteve à altura do tenista que deu nome a quadra principal do Australia Open, Rod Laver.

Com uma quebra para cada lado, o jogo chegou emocionante aos últimos games. Sacando em 4/5, Murray salvou três set points e empatou a partida. Em seguida quebrou o saque do sérvio e quando poderia fechar a partida, cedeu o empate e o jogo foi para o tie-break. Murray ganhou os pontos mais importantes e, com um saque que Djokovic não conseguiu devolver, fechou a parcial e tomou a frente no placar.

No entanto, o quarto set foi surpreendente. Djokovic renasceu das cinzas, reencontrou seu saque e venceu Murray em apenas 25 minutos.

No quinto e decisivo set, o sérvio estava mais no jogo do que seu adversário. Uma quebra de serviço no sexto game o colocou em situação favorável, com 5-3 no placar. Mas a partida ainda reservava mais emoções. O escocês conseguiu empatar a parcial, mas não teve forças para superar o número 1 do mundo, que fechou o set em 7-5.

Djokovic disputará agora sua terceira final de Grand Slam consecutiva contra Rafael Nadal e defenderá o título conquistado no ano passado no Aberto da Austrália. EFE