Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Del Bosque minimiza problemas da França e diz que Espanha teve méritos

Donetsk (Ucrânia), 23 jun (EFE).- Depois de muito ter se falado ao longo da semana sobre problemas internos na seleção francesa, o técnico da Espanha, Vicente del Bosque, destacou neste sábado que a vitória por 2 a 0 sobre os ‘Bleus’ foi obtida pelo esforço de seus jogadores e não por qualquer fator extracampo.

‘Mais que problemas da França, foram as nossas virtudes que nos deram a vitória. Se mantivermos a solidez na defesa, certamente ficaremos mais próximos do sucesso, porque no final sempre vamos ter alguma chance de gol’, declarou o treinador, que destacou: ‘Não há nenhuma partida cômoda’.

Após uma temporada desgastante e quatro partidas desgastantes na Euro, nas quais a ‘Fúria’ obteve três vitórias e apenhas um empate, na estreia contra a Itália, Del Bosque admitiu que alguns atletas estão acusando o cansaço.

‘Hoje chegamos muito cansados ao final da partida, mas também é normal. Vamos tentar nos recuperar bem e fazer um trabalho de recuperação para chegarmos nas melhores condições na próxima partida’, disse o treinador.

Nas semifinais, a Espanha enfrentará Portugal, que vem apenas descansando e treinando desde a última quinta-feira, quando eliminou a República Tcheca. Na opinião do técnico, esse é um fator favorável a Cristiano Ronaldo e companhia.

‘É uma pequena desvantagem ter 48 horas de diferença em relação ao adversário. Hoje sofremos com o calor, que nesta época do ano é mais cruel’, comentou.

A grande dúvida que persiste na cabeça de Del Bosque é a formação do ataque. Neste sábado, ele voltou a escalar Fàbregas como um ‘falso nove’, mas o meia não foi bem e acabou sendo substituído por Fernando Torres, titular nas duas partidas anteriores.

‘Não estamos tão seguros do que é melhor, e a verdade absoluta é difícil. Com um atacante nato, pode ser que ganhemos em profundidade, mas Cesc nos dá continuidade no jogo. Queríamos ter o domínio da bola e do jogo. Acho que o resultado é justo, eles praticamente não tiveram chances claras de gol’, argumentou. EFE