Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dagoberto não preocupa e Rhodolfo fará exame, mas garante que joga

Pelo discurso dos jogadores, Adilson Batista pode contar com dois problemas a menos para escalar o time que enfrenta o Atlético-PR neste sábado. Fora da derrota para o Ceará por sentir desconforto muscular, Dagoberto já está liberado pelos médicos. Rhodolfo, que saiu no intervalo, também diz estar sem dor, mas ainda gera preocupação.

O zagueiro faria um exame na coxa esquerda nesta quinta-feira, mas só deve realizá-lo na sexta-feira. O médico José Sanchez desembarcou de Fortaleza cauteloso em relação à utilização do camisa 4 na partida no Morumbi. ‘Depende do exame e da evolução. Vamos ver amanhã [sexta-feira]’, afirmou.

Rhodolfo, entretanto, assegura que estará em campo, até para evitar que o time atue somente com João Filipe como zagueiro e Piris ou Zé Luis improvisados na posição. ‘Em outras lesões, eu não conseguia nem andar. Agora, estou tranquilo, sem dor nenhuma. É tratar para jogar’, minimizou o atleta.

Apesar da confiança, o jogador admite que as dores quase o atrapalharam no lance do gol de letra de Rudnei, o primeiro do Ceará. ‘Precisava de uma arrancada mais forte, mas consegui chegar. Infelizmente passou por baixo da minha perna’, lamentou, dizendo, porém, que não voltou para o segundo tempo por precaução. ‘Eu estava com um pouco de dor e acharam melhor sair para não agravar.’

Já Dagoberto ficou no banco o tempo todo somente como peça figurativa. O atacante terminou a partida de domingo, contra o Avaí, com dores na coxa esquerda, mas viajou para Fortaleza para que Adilson Batista tivesse seis atletas no banco de reservas, ainda assim um a menos do que o permitido.

‘Mas o Dagoberto não teve nada. Foi preservado. Estava com desconforto e, por cuidado, ficou fora’, minimizou José Sanchez, adotando o mesmo discurso do camisa 25. ‘Foi tudo pensado. O Adilson até ia me deixar em São Paulo, mas ficariam só 16 jogadores e fiquei para compor o banco. Não tem problema algum’, disse o atacante.

De acordo com Dagoberto, seu descanso é até para evitar problemas como o de Rhodolfo. ‘Depois do jogo contra o Avaí, conversamos e eu estava com dores. É normal, todos viram o que aconteceu com o Rhodolfo novamente ontem. É difícil. O Adilson foi muito inteligente’, elogiou, já avisando. ‘No sábado vai dar tranquilo [para jogar].’

Se deve contar com dois titulares, o treinador provavelmente ainda não terá novas opções na zaga à disposição. José Sanchez definiu como ‘poucas’ as possibilidades de Xandão, Luiz Eduardo ou Rodrigo Caio se recuperarem de contusão a tempo de enfrentar o Furacão no fim de semana, pelo Brasileiro.