Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Comitê de Apelação da Fifa reduz suspensão de Valcke

Ex-secretário-geral da entidade teve pena reduzida de 12 para dez anos de banimento do futebol

O Comitê de Apelação da Fifa anunciou nesta terça-feira que reduziu de 12 para dez anos a suspensão de qualquer atividade ligada ao futebol imposta ao ex-secretário-geral Jérome Valcke. A multa no valor de 100.000 francos suíços (cerca de 338.000 reais), no entanto, foi mantida. O cartola francês deixou a função em setembro do ano passado, acusado de envolvimento em um esquema de venda de ingressos com preços acima dos estipulados oficialmente.

Valcke foi considerado culpado por infringir sete artigos do Código de Ética da federação, os de regras gerais de conduta, lealdade, confidencialidade, prestação de contas, conflito de interesses, entre outros. Porém, o Comitê de Apelações reavaliou atenuantes em relação à tentativa de Valcke de negociar os direitos de transmissão das próximas duas edições da Copa do Mundo, e decidiu reduzir o tempo de sua sanção.

Leia também:

Valcke pediu compensação milionária para deixar Fifa antes de acusação

CPI do Futebol investiga Valcke por desvios de verba do Comitê Organizador da Copa de 2014

Chute no traseiro: Fifa demite Jérôme Valcke

O sul-coreano Chung Mong-joon, vice-presidente da Fifa entre 1994 e 2011, também teve sua pena reduzida de seis para cinco anos de banimento. Sua multa, também no valor de 100.000 francos suíços, foi reduzida pela metade. O Comitê de Apelação da Fifa concluiu que não há evidências para condená-lo por quebra de confidencialidade.

Moon-joon foi punido por envolvimento em irregularidades nos processos de escolha das sedes das Copa do Mundo de 2018 e 2022. O dirigente pretendia concorrer nas eleições presidenciais da Fifa de fevereiro do ano passado, mas foi impedido por causa da suspensão.

(da redação)