Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Com Piris em baixa, Douglas tem teste para poder estrear na quarta

Por Da Redação 30 abr 2012, 05h01

Emerson Leão fez questão de negar qualquer insatisfação com Piris, embora tenha sido obrigado a gastar no intervalo da derrota para o Santos uma substituição com o paraguaio que recebeu cartão amarelo ao marcar Neymar. O técnico do São Paulo, porém, não esconde a animação com a possibilidade de, enfim, poder escalar Douglas.

O ex-lateral direito do Goiás contratado em 11 de fevereiro finalmente está perto de concluir o tratamento de uma pubalgia. O treinador só não o relacionou ainda pela falta de tempo em comandar coletivos para vê-lo. A chance de avaliá-lo, contudo, será no treino às 10 horas (de Brasília) desta segunda-feira contra o Juventus, no CT da Barra Funda, ao lado de outros atletas que não foram relacionados para o San-São do último domingo.

‘Vou poder observar o Douglas. Será um dia bem positivo para ele. Espero que siga em frente para talvez, ser tiver possibilidade, jogar até na quarta-feira. Isso sempre renova a esperança porque ele pode fazer parte da equipe’, comentou, já pensando no duelo contra a Ponte Preta, em Campinas, na primeira partida das oitavas de final da Copa do Brasil.

A atividade que pode definir se Douglas estreará – após quase três meses treinando no clube – será com portões fechados. A imprensa terá acesso somente às atividades de quem atuou contra o Santos, em reapresentação marcada para as 16 horas. Neste grupo, está Piris, que corre o risco de perder, mais uma vez, sua vaga entre os titulares.No clássico, Leão ordenou que o camisa 2 até abdicasse de jogar, e o estrangeiro chegou a não aproveitar espaços na defesa adversária para estar sempre ao lado de Neymar. Após o atacante fazer o segundo de seus três gols, contudo, o paraguaio deu duas entradas duras nele, recebeu amarelo e o técnico, como já havia perdido Rodrigo Caio expulso em situação similar no San-São de 18 de março, optou por sacá-lo.

‘O Piris só saiu pelo cartão amarelo. E disse isso a ele na frente de todos no intervalo. Ele estava marcando muito bem o Neymar, mas o garoto fez o que faz com qualquer um’, contou Leão, que trocou Piris por Rodrigo Caio no intervalo do clássico – alteração que deve ocorrer na escalação inicial diante da Macaca caso Douglas não se mostre em condições de ser titular.

O comandante, contudo, admite que Piris comprometeu lembrando que, apesar de Paulo Miranda ter sido driblado por Neymar na jogada do segundo gol santista, a função de seguir o camisa 11 adversário era do paraguaio. ‘O Paulo Miranda é um jogador simples, rebatedor e vigoroso. Havia um atleta especifico para marcar o Neymar, o Paulo Miranda estava na cobertura’, apontou.

Continua após a publicidade
Publicidade