Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Com ‘jogo bonito’, Brasil faz 6 a 0 em Honduras e está na final

Seleção e Maracanã dão espetáculo de gols e cantoria e Brasil buscará inédita medalha de ouro no futebol

O futebol pobre e a desconfiança da torcida foram sepultados nesta quarta-feira no Maracanã. A seleção brasileira fez sua melhor apresentação na Rio-2016, goleou Honduras por 6 a 0 e se classificou à final do torneio. O intenso calor não atrapalhou a seleção brasileira, que, com Neymar e Gabriel Jesus inspirados e todo o time bastante vibrante, deu mostras do famoso “jogo bonito” que a caracterizou em outras épocas. Neymar, aos 14 segundos, marcou o gol mais rápido da história da Olimpíada e iniciou o massacre, completado por Gabriel Jesus (dois gols), Marquinhos, Luan e novamente Neymar.

Leia também:
Recados a Alemanha e Argentina: o deboche da torcida no Maracanã

Na decisão, o Brasil buscará o ouro inédito contra o vencedor de Alemanha e Nigéria, que jogam às 16 horas, em São Paulo. Empolgada e com sede de vingança, a debochada torcida carioca já tem sua preferência: “Ô Alemanha, pode esperar, a tua hora vai chegar”, foi um dos vários gritos vindos das arquibancadas do templo do futebol nacional.

A seleção não atuava no Maracanã desde a final da Copa das Confederações de 2013 – vitória por 3 a 0 sobre a Espanha, na última grande alegria da equipe nacional.  E, novamente, a torcida carioca pôde fazer festejar uma grande atuação. A surpreendente seleção de Honduras – que eliminou Argélia, Argentina e Coreia do Sul na competição –, certamente não é uma equipe poderosa. Mas demonstrou ainda mais fragilidade diante da força do ataque brasileiro.

Nas primeiras duas partidas, o Brasil alegou que a demora para marcar o gol causou ansiedade e afetou a pontaria dos atacantes. Desta vez, a situação foi a mais favorável possível: Johnny Palacios bobeou, Neymar interceptou passe e dividiu com o goleiro Luís Lopez antes de marcar o gol, aos 14 segundos de jogo. O capitão chegou a deixar o campo com dores, mas voltou rapidamente e recebeu a primeira ovação da torcida.

Neymar estava inspirado. Deu dribles que irritaram os hondurenhos e em seguida deu ótimo passe entre os zagueiros para Luan, que finalizou para defesa de Lopez. Honduras manteve a estratégia defensiva e apostava nos contra-ataques, mas o Brasil conseguiu controlar tranquilamente o ritmo do jogo.

Neymar tirou os hondurenhos para dançar e foi novamente perseguido com violência. A formação com quatro atacantes, com os “Gabriéis”abertos e Neymar e Luan se revezando pelo centro funcionou e o segundo gol saiu após transição rápida, que terminou com assistência de Luan e finalização com categoria de Gabriel Jesus.

O atacante do Palmeiras iniciou mal o torneio, mas se encaixou na ponta esquerda e, aos 35 minutos, marcou seu terceiro gol no torneio ao receber linda enfiada de Neymar e tocar na saída de Lopez. A essa altura, a torcida já se preocupava em inventar novas e divertidas canções e vibrava a cada drible e jogada de efeito da seleção.

O quarto gol saiu logo no início da segunda etapa. Neymar cobrou escanteio, Marquinhos tentou finalizar e ele próprio aproveitou a sobra para concluir. O zagueiro do Paris Saint-Germain é um dos destaques da equipe na Rio-2016. A facilidade era tanta que Micale pôde poupar jogadores e testar outros. Luan Garcia, Felipe Anderson e Rafinha entraram nas vagas de Rodrigo Caio, Gabriel Jesus e Renato Augusto, aplaudidíssimos.

Neymar seguiu em campo, bastante disposto, e levou perigo em duas cobranças de falta que passaram raspando a trave. O quarto gol saiu após arrancada de Gabigol, que terminou com Luan, livre na área para empurrar para as redes. O Brasil, naturalmente, relaxou no fim e Honduras teve suas únicas boas chances no jogo, em chute de fora da área de Allan Banegas e em finalização de Elis Alberth, ambos bem defendidos por Weverton. No fim, Luan ainda sofreu pênalti e Neymar, agora nos braços do povo, marcou o sexto. Ao apito final, novos pedidos da torcida: que venha a Alemanha.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Aloisio Barros

    E ai Galvão? A Marta ainda é melhor que Neymar? Fala demais…

    Curtir

  2. Quando o adversário é fraco e medíocre todo mundo aparece, até o mascarado do Neymala. Agora, quando encontra pela frente um time forte na marcação e veloz no ataque ele é o primeiro a sumir. Na moleza sorri, faz pose para a TV e é um amor com a torcida. Tudo falso, tudo hipocrisia. E os baba ovo da torcida e imprensa logo batem palmas e o endeusam. Esse país só dá valor a quem não tem nenhum. É um lixo.

    Curtir

  3. José Delcinir Esperandio

    Ora pessoal, sapatear em cima de galinha morta, não é Jogar bonito. A doença do Galvão é contagiosa, nossa!

    Curtir