Clique e assine com até 92% de desconto

Com estratégia eficaz, Hamilton vence no Canadá e encosta em Rosberg

Com a vitória, Hamilton foi aos 107 pontos na classificação geral, enquanto Rosberg manteve a liderança, alcançando 116

Por Da Redação 12 jun 2016, 17h01

Após dominar os treinos de sábado, o inglês Lewis Hamilton venceu o Grande Prêmio do Canadá, chegou a sua segunda vitória no ano e diminuiu ainda mais a distância para o líder do Campeonato, Niko Rosberg, também da Mercedes. Foi a quinta vez que o britânico subiu ao posto mais alto do pódio na corrida norte-americana (2007 e 2010 com a McLaren, 2012 e 2015 com a Mercedes).

Depois de uma largada fraca, as duas Mercedes foram ultrapassadas pela Ferrari de Sebastian Vettel em uma linda manobra por fora do desenho da pista. Rosberg, então, tocou o carro de seu companheiro e caiu para a nona colocação.

Na estratégia das paradas, contudo, a Mercedes novamente foi superior à Ferrari, que apostou em duas paradas para Vettel e foi menos eficiente do que o único pit stop de Hamilton. O erro custou a corrida à montadora italiana.

Com a vitória, Hamilton foi aos 107 pontos na classificação geral, enquanto Rosberg manteve a liderança com os 10 pontos do quinto lugar, alcançando 116.

A prova – Em largada agitada no Canadá, o alemão Sebastian Vettel, da Ferrari, realizou uma bela manobra pelo lado de fora depois da largada e pulou da terceira para a primeira colocação, deixando as duas Mercedes, de Hamilton e Rosberg para trás.

Logo depois, o atual líder da classificação de pilotos, então na terceira colocação, tentou ultrapassar seu companheiro Hamilton e acabou tocando seu carro, caindo para a nona colocação. O jovem Max Verstappen assumiu o terceiro posto.

Na quinta volta, Kevin Magnussen, da Renault, complicou a corrida de Felipe Nasr com um toque em sua Sauber, fazendo o brasileiro cair para a última colocação do Grande Prêmio.

Continua após a publicidade

Com Hamilton na cola de Vettel e as duas RBRs brigando pela terceira colocação, a corrida teve uma esfriada na 11ª volta. A McLaren de Jason Button abandonou a corrida com o carro pegando fogo e o safety car virtual – zonas de desaceleração na pista – entrou em ação. Vettel aproveitou para ir aos boxes trocar seu jogo de pneus e caiu para a quarta colocação.

Muito bem na corrida, o alemão não teve problemas para ultrapassar as RBRs de Ricciardo (terceiro) e Verstappen (segundo). Na 25ª volta, Hamilton foi aos boxes e Vettel reassumiu a ponta. Na parada, o britânico colocou pneus macios, sinalizando a intenção de ir até o final da corrida com apenas um pit stop, enquanto seu principal rival precisaria parar mais uma vez pelo regulamento da prova.

A corrida acabou mais cedo também para Felipe Massa. Na 37ª volta, o brasileiro levou sua Williams para os boxes por problemas no controle da temperatura do carro, abandonando uma prova pela primeira vez no ano.

Vettel fez sua parada e, com pneus macios novos, voltou mais rápido que Hamilton, com jogo já desgastado. Um erro na volta 57, contudo, aumentou a diferença entre os pilotos e deixou a corrida complicada para o alemão.

Enquanto isso, correndo por recuperação, Niko Rosberg reconquistou posições e passou Raikkonen na volta de número 58 para chegar à quinta colocação. Carlos Sainz, da STR, ganhou 11 posições no grid e chegou ao nono posto.

Na 64ª volta, Rosberg tentou de tudo para tomar a quarta colocação de Verstappen, mas o garoto de 18 anos não deu oportunidades para o líder do campeonato. Em boa corrida, o companheiro de Massa, Valtteri Bottas, conseguiu sair com a terceira colocação.

Na última volta, o alemão tentou ultrapassar mais uma vez o holandês, passou a sua frente, mas errou na execução da manobra e rodou na curva. O acidente, contudo, não foi sério e Rosberg manteve a quinta colocação.

(Com Gazeta Press)

Continua após a publicidade
Publicidade