Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Chelsea recebe críticas após demitir Villas-Boas

Por Da Redação 5 mar 2012, 09h50

Londres, 5 mar (EFE).- A demissão do treinador do Chelsea, o português André Villas-Boas, após oito meses no cargo, gerou nesta segunda-feira críticas em diversos setores do futebol inglês, que atacaram a direção e o dono do clube, Roman Abramovich.

O técnico, de 34 anos, permaneceu 40 jogos no comando do Chelsea. Villas-Boas foi contratado por 15 milhões de euros do Porto. O diretor-executivo da Associação de Treinadores do Campeonato Inglês, Richard Bevan, classificou nesta segunda-feira de ‘lamentável’ a demissão do português e opinou que o Chelsea está se transformando numa ‘vergonha’ para a competição.

‘Buscar seu oitavo treinador em nove anos é uma vergonha para o clube, seu donos, os torcedores e o campeonato’, acrescentou Bevan.

A equipe só conseguiu três vitórias nas últimas doze partidas e no sábado foi derrotado por 1 a 0 pelo West Bromwich, o que afastou o Chelsea ainda mais das primeiras colocações. O clube está na quinta posição no Campeonato Inglês e no momento não conseguiria vaga na Liga dos Campeões.

O técnico do Manchester United, Alex Ferguson, acredita que a demissão de Vilas Boas é ‘triste’, mas reconheceu que não se surpreendeu, segundo informou a cadeia pública ‘BBC’.

‘Se falava muito de sua possível queda na imprensa, e a verdade é que os resultados não ajudaram, é triste pois se trata de um treinador jovem’, disse Ferguson.

Continua após a publicidade

‘Não podemos ignorar o que ele alcançou no Porto e espero que volte em breve’, assegurou o escocês, que está à frente do Manchester United há 25 anos.

O israelense Avram Grant, técnico que levou o Chelsea à final da Liga dos Campeões em 2008 e que também foi demitido por Abramovich, acredita que os resultados ‘não ajudaram’ Villas-Boas.

‘Nem os resultados nem o jogo eram bons; acho que é preciso paciência, mas já se esperava por isso, não?’, afirmou o israelense.

O técnico Luiz Felipe Scolari, que foi contratado pelo Chelsea em 2008 e demitido sete meses depois, acredita que o novo treinador do clube viverá ‘um inferno’.

‘A Inglaterra tem equipes como o Arsenal, onde Arsene Wenger está há anos e só ganhou duas ou três ligas. A cultura do Chelsea é muito diferente, eu passei pela mesma coisa’, disse Scolari.

‘Vai ser um inferno para quem quer que seja seu sucessor’, previu Felipão. EFE

Continua após a publicidade
Publicidade