Clique e assine a partir de 9,90/mês

Celebridades lutam por suas cidades em Copenhague

Por Da Redação - 1 out 2009, 17h20

O hotel Marriott, em Copenhague, onde estão hospedados os membros do Comitê Olímpico Internacional (COI), se transformou em um ponto de encontro das celebridades. É lá que tem palco o lobby dos famosos que lutam pela escolha de sua cidade como a sede da Olimpíada de 2016. Pelos corredores é possível encontrar personalidades como a apresentadora Oprah Winfrey e a primeira-dama americana Michelle Obama, defensoras de Chicago, além de Pelé, do escritor Paulo Coelho e do nadador César Cielo, que apoiam a candidatura do Rio.

Cielo não é o único campeão olímpico que ganhou destaque em Copenhague. A delegação americana que viajou à Dinamarca está recheada de grandes nomes, como Nadia Comaneci – ginasta romena que, em 1976 foi a primeira na história das Olimpíadas a conseguir nota 10 de todos os jurados – e David Robinson, ex-jogador de basquete que integrou o Dream Team americano em 1992.

“Estão todos otimistas a respeito de suas cidades�, disse Anita DeFrantz, integrante americana do COI. “A questão é: quem pode fazer a melhor propaganda?”. Chicago é uma das favoritas à escolha, mas o Rio segue forte na disputa, sobretudo pela argumentação de que, caso a cidade seja escolhida, serão os primeiros Jogos na América do Sul.

Uma das presenças mais badaladas é a de Oprah. “Todos estão hipnotizados por ela”, disse Charmaine Crooks, ex-integrante do COI, em declaração para uma reportagem do jornal Chicago Tribune. A apresentadora atrai todos os flashes e movimenta fãs por onde passa, como fez com a secretária de Carlos Arthur Nuzman, presidente do COB. Maria Celeste Pedroso fez questão de fotografar Oprah e, questionada se a apresentadora é adorada também não Rio, não hesitou: “Assim como no resto do mundo”.

Continua após a publicidade

Oprah foi a responsável por abrir o discurso de Michelle Obama aos membros do COI e acompanha a primeira-dama em busca de votos por Chicago nos encontros particulares com os membros do Comitê. “Apenas entro na sala e converso com quem quer que esteja lá”, disse a apresentadora. “Acho que eles ficaram bem impressionados com a apresentação de Michelle”, continuou e, otimista, completou. “Essa é uma festa com sete anos de duração. E a festa pode começar na sexta-feira”.

Publicidade