Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Candidatos a sucessor de Marcos suam no primeiro dia sem o ídolo

Por Da Redação 5 jan 2012, 10h57

No primeiro dia após o anúncio da aposentadoria de Marcos, os primeiros atletas a aparecerem no gramado da Academia de Futebol do Palmeiras foram justamente os goleiros. Candidatos a sucessor do ídolo, Deola, Bruno, Raphael Alemão, Fabio e Pegorari puxaram a fila nos testes físicos realizados em todo o elenco nesta quinta-feira.

‘O Palmeiras perde um amigo, um companheiro, uma pessoa que sempre estava disposta a ajudar. Ele tinha um peso muito grande para o grupo, não só jogando. A importância que ele teve para que os meninos que estão aqui evoluíssem foi enorme’, comentou Carlos Pracidelli, preparador de goleiros do Verdão.

Ao tentar explicar o sentimento que toma conta do clube no dia seguinte ao ponto final da carreira de Marcos, o profissional disse que há uma mistura de emoções. ‘Não sei se vou conseguir passar o que estou sentindo. Primeiro, tem a tristeza por ver um grande profissional, com grande caráter, encerrar uma carreira vitoriosa. Por outro lado, fico muito feliz. Me lembro de julho de 1992, quando recebi o Marcos no campo 3 da Academia, ainda cabeludo, com o sonho de ser o goleiro do Palmeiras. Ele realizou isso e eu estive com ele em grandes derrotas e grandes vitórias’, emendou.

O principal arqueiro do Palmeiras agora é Deola, que vinha revezando com o ex-camisa 12 até o dia 18 de setembro, quando Marcos entrou em campo pela última vez como atleta profissional. Aos 27 anos, ele começará o ano como titular e terá certa tranquilidade na posição, já que suas ‘sombras’ não têm a mesma bagagem.

O mais experiente é Bruno, que está com 26 anos e volta ao clube depois de um período emprestado à Portuguesa. Apesar de terem quase a mesma idade, Deola e Bruno possuem trajetórias bem diferentes no Palmeiras: enquanto o titular já entrou em campo 79 vezes, o suplente só jogou 31 partidas. Enquanto isso, os jovens Alemão, Fabio e Pegorari se preparam para o futuro à espera de oportunidades.

‘O Marcos foi importante para o amadurecimento desses garotos e todos já sabiam que ele iria parar um dia, nós não esperamos chegar esse momento para falar disso. Os garotos sempre souberam que deveriam aproveitar ao máximo a convivência com ele’, acrescentou Pracidelli. ‘A pressão em cima do Deola, do Bruno e de qualquer goleiro é sempre a mesma. A ideia não é substituir o Marcos, ele é insubstituível por tudo aquilo que conquistou pelo Palmeiras e pela Seleção’.

Continua após a publicidade
Publicidade