Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Briatore reconhece que errou ao demitir Button da Renault

Por Da Redação 1 nov 2011, 09h25

Flavio Briatore, ex-dirigente da F-1, admitiu nesta terça-feira que errou ao demitir o inglês Jenson Button quando estava à frente da Renault, onde venceu dois Campeonatos Mundiais, em 2005 e 2006, com o espanhol Fernando Alonso.

‘Eu estava errado sobre o piloto inglês. Ele foi realmente uma surpresa neste ano. Trabalhou para nós e eu nunca imaginei que fosse tão bom’, admitiu em entrevista à rádio italiana La Política nel Pallone.

Button chegou à decadente Benetton em 2001. Depois da compra da equipe pela Renault, insatisfeito com o seu desempenho, o italiano o demitiu da escuderia para dar lugar a Alonso, do qual Briatore era empresário, enquanto o inglês foi para a BAR. Lá, manteve-se mediano nas pistas com a mudança para a Honda, até o surgimento da Brawn GP, onde foi campeão após abrir uma larga vantagem no início da temporada 2009.

Na época, em função do grande domínio que o carro da equipe de Ross Brawn tinha na categoria, Briatore chegou a dizer que Button ‘era mais lento do que um bloco de concreto’. O piloto, por sua vez, respondeu alegando que o dirigente tentou a sua contratação.Depois do Mundial conquistado, o inglês foi anunciado pela McLaren no ano passado – onde Alonso não teve um bom desempenho – para correr ao lado de Lewis Hamilton. Nesta temporada, é o grande destaque da equipe e apareceu como o mais forte concorrente de Sebastian Vettel, da Red Bull, já garantido como campeão antecipado. Briatore, por sua vez, envolveu-se em um escândalo de manipulação de resultados com o próprio Alonso e o brasileiro Nelsinho Piquet, em 2008, e foi afastado da categoria.

No Mundial de Pilotos, o campeão Vettel tem 374 pontos conquistados. Button aparece em segundo, com 240, logo à frente de Alonso, que tem 274. Mark Webber, da Red Bull, é o quarto com 221 conquistados.

Continua após a publicidade
Publicidade