Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Brasil tenta diminuir vantagem da hexacampeã Argentina no Sub-20

Por Da Redação 20 ago 2011, 08h03

Caso consiga conquistar o título do Mundial Sub-20 neste sábado, na final contra Portugal, a seleção brasileira vai erguer sua quinta taça na história da competição, reduzindo a vantagem da Argentina, maior vencedora com seis conquistas. Os portugueses venceram duas vezes.

O primeiro título canarinho veio em 1983, no México. A equipe do técnico Jair Pereira não teve problemas para passar por um grupo com Holanda, Nigéria e União Soviética na primeira fase. Depois, goleou a Tchecoslováquia por 4 a 1 nas quartas de final e superou a Coreia do Sul nas semifinais. Na grande decisão, um adversário sob medida: a Argentina, que sucumbiu por 1 a 0 graças a um gol de Geovani, astro da companhia e artilheiro com seis gols. Outros destaques do time eram o volante Dunga, ex-técnico da seleção principal, e o lateral Jorginho, seu auxiliar na Copa do Mundo de 2010. O time-base do Brasil tinha: Duarte; Jorginho, Bagatini, Camarin e Bonifácio; Dunga, Gilmar Popoca, Geovani e Vilela; Santos e Ferreira.

A seleção conquistou o bi dois anos depois, quando a Europa sediou o Mundial Sub-20 pela primeira vez, tendo a União Soviética como palco. A equipe era dirigida por Gilson Nunes, que pouco antes do torneio cortou o atacante Romário, então desconhecido, por indisciplina. O time brasileiro venceu com tranquilidade, passando sem sustos na primeira fase por um grupo composto por Espanha, Arábia Saudita e Eire. Nas quartas, fez 6 a 0 na Colômbia do goleiro Eduardo Niño (que depois defenderia o Botafogo). Nas semifinais, vitória sobre a surpreendente Nigéria. Por fim a decisão, que terminou com vitória de 1 a 0 sobre a Espanha, com um gol do zagueiro Henrique. O time canarinho contava ainda com alguns destaques, como o goleiro Taffarel, o meia Silas (eleito o melhor do torneio) e o atacante Müller. O time-base tinha: Taffarel; Luciano, Luis Carlos, Henrique e Dida; João Antônio, Balalo, Tosin e Silas; Müller e Gérson.

Em 1989, na Arábia Saudita, Portugal conquistou seu primeiro título e foi o campeão com menos gols marcados em toda a história: apenas seis ao longo da edição, sendo dois neles na final contra a Nigéria (2 a 0). O russo Oleg Salenko e o português Fernando Couto foram alguns dos poucos destaques de um torneio fraco tecnicamente.

Foi no Mundial Sub-20 de 1991 que Portugal, jogando em casa, viu nascer uma de suas maiores gerações, com jogadores do nível de Luis Figo, Jorge Costa e Rui Costa. Porém, o grande destaque do torneio foi outro lusitano, Peixe, que jamais brilhou pela seleção principal. O torneio foi marcado também pelas decepções protagonizadas por argentinos e uruguaios, que sequer passaram para a segunda fase. Dentre as revelações da competição estavam o inglês Andy Cole e o sueco Patrik Andersson. Com sua geração de ouro Portugal ficou com o título, superando o Brasil na final por 4 a 2 nas cobranças de pênaltis, após empate sem gols no tempo normal. O time que ficou com o vice-campeonato em território português era comandado pelo técnico Ernesto Paulo e tinha como uma de suas principais atrações o lateral-esquerdo Roberto Carlos, então no União São João-SP. Outros atletas revelados nesta edição foram o meia Djair e o atacante Paulo Nunes.Em 1993 a Austrália sediou o evento, que teve bom nível técnico. Assim como os profissionais conseguiram em 1970, os juniores da Seleção Brasileira fizeram do país o primeiro a conquistar o título mundial pela terceira vez. A Seleção Brasileira esteve longe de empolgar na primeira fase, quando empatou sem gols com Arábia Saudita e derrotou Noruega e México com muita dificuldade. Porém a sorte cruzou o caminho do time canarinho, que encontrou adversários fracos tecnicamente nas fases seguintes. Dessa forma o Brasil passou por Estados Unidos e Austrália, antes de bater a surpreendente e habilidosa Gana na final por 2 a 1. Dentre os destaques da equipe dirigida pelo técnico Júlio César Leal estavam o goleiro Dida, o volante Marcelinho Paulista e o meia Adriano. O time-base era composto por: Dida, Bruno, Gelson Baresi, Juarez e Hermes; Marcelinho Paulista, Pereira, Adriano e Yan; Gean e Catê.

O último título brasileiro foi em 2003, na edição disputada nos Emirados Árabes Unidos, que foi jogada sob tensão devido à invasão iraquiana por parte dos Estados Unidos. Os sul-americanos mostraram a sua supremacia, pois a Colômbia chegou em terceiro lugar e os argentinos acabaram na quarta colocação. A seleção brasileira conquistaria o título na final contra a Espanha, com um gol de Fernandinho aos 42 minutos do segundo tempo. O time porém começou mal o torneio, terminando a primeira fase com apenas quatro pontos. Porém a equipe do técnico Marcos Paquetá, que contava com destaques como Nilmar, Dagoberto e Daniel Carvalho, foi crescendo até à final. O time-base tinha: Jéfferson, Daniel Alves, Alcides, Adaílton e Adriano; Jardel, Dudu Cearense, Juninho e Daniel Carvalho; Dagoberto e Nilmar. A seleção espanhola contava com o meio-campo Iniesta, que ano passado concorreu ao prêmio Fifa de melhor do mundo, dado a Messi.

Abaixo a relação de campeões e o número de títulos por país:

TODOS OS CAMPEÕES

Ano – Sede – Campeão

1977 – Tunísia – União Soviética

1979 – Japão – Argentina

1981 – Austrália – Alemanha Ocidental

1983 – México – Brasil

1985 – União Soviética – Brasil

1987 – Chile – Iugoslávia

1989 – Arábia Saudita – Portugal

1991 – Portugal – Portugal

Continua após a publicidade

1993 – Austrália – Brasil

1995 – Qatar – Argentina

1997 – Malásia – Argentina

1999 – Nigéria – Espanha

2001 – Argentina – Argentina

2003 – Emirados Árabes Unidos – Brasil

2005 – Holanda – Argentina

2007 – Canadá – Argentina

2009 – Egito – Gana

TÍTULOS POR PAÍS:

ARGENTINA: 6

BRASIL: 4

PORTUGAL: 2

ALEMANHA OCIDENTAL: 1

ESPANHA: 1

GANA: 1

IUGOSLÁVIA: 1

UNIÃO SOVIÉTICA: 1

Continua após a publicidade
Publicidade