Clique e assine a partir de 9,90/mês

Atlético-MG sofre em Teófilo Otoni, mas consegue virada em cima do América

Por Da Redação - 5 fev 2012, 20h41

Atlético-MG e América de Teófilo Otoni fizeram uma partida bastante movimentada neste domingo, no estádio Nassri Mattar, que terminou com a vitória do Galo de virada por 2 a 1. Os jogadores do Atlético-MG ainda reclamaram bastante do árbitro Igor Júnio Benevenuto, que anulou um gol de André por um suposto impedimento.

O gol do time americano foi anotado pelo zagueiro Rodrigo Sena, depois de cobrança de escanteio pela direta. No Atlético-MG, André de cabeça e o meia-atacante Mancini foram responsáveis pela virada. A equipe alvinegra ainda desperdiçou um pênalti com Richarlyson.

Na sequência do Campeonato Mineiro, o Atlético-MG vai atuar com o apoio da torcida, contra a Caldense, na Arena do Jacaré, no próximo sábado. Já o América vai visitar o Villa Nova, em Nova Lima.

O jogo – O duelo entre Dragão e Galo começou de forma bastante movimentada, com as duas equipes buscando o gol. O gramado com dimensões reduzidas propiciou lances de perigo durante boa parte da partida, uma vez que a bola estava nas proximidades da área com muita frequência. Aos sete minutos, André chegou atrasado em cruzamento de Bernard, e perdeu a primeira chance de inaugurar o marcador.

Pressionando a saída de bola do América, o Atlético forçou várias vezes o erro dos donos da casa, ou obrigou os zagueiros do time do Vale do Mucuri a dar chutões, estratégia que colaborou para que o Galo tivesse maior posse de bola durante a partida. Aos 16, Danilinho deu excelente assistência para o argentino Escudero, mas o goleiro Fábio Noronha salvou o Dragão com uma defesa com os pés.

Continua após a publicidade

A resposta veio aos 24, após cobrança de escanteio pela direita, em que Rodrigo Sena subiu mais que Rafael Marques, e de cabeça mandou para as redes atleticanas, abrindo o placar em Teófilo Otoni. Apesar do gol, o Galo continuou atacando mais, porém, pecou muito na conclusão das jogadas.

Disposto a empatar o jogo antes do intervalo, Escudero tentou jogada solitária pelo meio, e após se livrar da marcação finalizou sobre a meta do arqueiro americano, animando a torcida alvinegra em Teófilo Otoni. Aos 40, André chegou a marcar, mas o árbitro Igor Júnio Benevenuto marcou impedimento. Com placar adverso, os gritos de Neto Berola foram ouvidos ainda no primeiro tempo.

Para a etapa complementar, Cuca atendeu aos pedidos da torcida, e voltou com Berola na vaga de Danilinho. Logo aos três minutos, André desviou cruzamento de Marcos e Rocha e quase marcou, dando indícios da pressão que o time alvinegro exerceria nos minutos seguintes.

Na segunda chance que teve de empatar o jogo de cabeça, o avante André não desperdiçou. Aos seis minutos, Escudero cobrou falta, e o atacante cabeceou com violência para o gol de Fábio Noronha. Acuando o time americano no campo de defesa, o Atlétic procurou trocar passes no ataque em busca da virada.

Com maior volume de jogo, o Atlético desperdiçou várias oportunidades de marcar, até que aos 27, Ricardo Duarte derrubou Escudero dentro da área, e o árbitro não titubeou e marcou pênalti. O lateral esquerdo Richarlyson cobrou e Fábio Noronha fez a defesa.

Aos 37, Neto Berola tentou jogada individual e passou pelo zagueiro do América, mas na hora do arremate acabou mandando sobre o travessão. Na blitz atleticana, o meia atacante Mancini aproveitou cruzamento de Marcos Rocha e virou o placar no Nassri Mattar, levando a torcida alvinegra à loucura no finalzinho do jogo.

Continua após a publicidade
Publicidade