Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Arsenal chega perto de milagre, mas Milan quebra jejum e se classifica

Redação Central, 6 mar (EFE).- Goleado por 4 a 0 no estádio de San Siro há três semanas, o Arsenal entrou em campo nesta terça-feira no Emirates obrigado a pelo menos devolver o placar para levar o confronto de oitavas de final da Liga dos Campeões para a prorrogação e ficou a um gol de um feito histórico.

No entanto, o resultado de 3 a 0 a favor dos ‘Gunners’ classificou o Milan, que quebrou assim uma incômoda sequência de três eliminações para equipes inglesas. Depois de ter sido campeão em 2007, os ‘rossoneri’ caíram para o próprio Arsenal, em 2008, para o Manchester United, em 2010, e para o Tottenham, no ano passado.

Koscielny, Rosicky e Van Persie abriram 3 a 0 para a equipe londrina nos primeiros 45 minutos. No entanto, apesar de terem ficado mais tempo com a bola que o adversário e criado boas chances, os donos da casa não chegaram ao gol salvador na segunda etapa.

O time de Milão aguarda o sorteio que será realizado pela Uefa no próximo dia 16 para conhecer seu adversário na próxima fase. Ao contrário da fase de grupos e das oitavas, a partir das quartas são permitidos duelos entre representantes do mesmo país.

Na busca pelo milagre, o técnico Arsene Wenger escalou um time ofensivo. Sem poder contar com o meia Arteta, que se machucou na vitória sobre o Liverpool, no último sábado, o francês escalou o jovem Oxlade-Chamberlain, mais ofensivo, e ainda manteve três atacantes: Walcott, Gervinho e Van Persie.

No Milan, os principais desfalques estavam no meio-campo. Massimiliano Allegri também colocou a equipe no 4-3-3, com Robinho e Thiago Silva entre os titulares. Outro brasileiro do elenco, o atacante Alexandre Pato, nem foi à Inglaterra por estar machucado.

O primeiro tempo foi de um time só. Enquanto o time da casa se mostrava disposto a surpreender o mundo, os visitantes se mostravam assustados e ficavam acuados no campo de defesa.

Essa disparidade pôde ser vista logo aos seis minutos de partida. Após cobrança de escanteio, Koscielny teve espaço e completou de cabeça, sem defesa para o goleiro Abbiati.

Três minutos depois, o arqueiro italiano conseguiu evitar o que seria o segundo. Walcott colocou Van Persie na cara do gol, e o holandês bateu rasteiro para grande defesa de Abbiati.

O holandês e o camisa 32 ‘rossoneri’ voltaram a ser protagonistas aos 18, e o goleiro voltou a levar a melhor. Van Persie foi acionado na entrada da área e buscou o ângulo. Com um belo salto, Abbiati espalmou para fora.

Mas aos 25 minutos não teve jeito. Walcott desceu pela direita e cruzou rasteiro. Thiago Silva cortou parcialmente, mas pegou mal na bola e a entregou no pé de Rosicky, que bateu no canto. O goleiro ainda chegou, mas não impediu o segundo.

O time italiano tentava trocar passes para administrar a vantagem, mas o Arsenal tinha maior posse de bola e incomodava, até alcançar o terceiro. Aos 40, Oxlade-Chamberlain invadiu a área pela direita e foi derrubado por Mesbah. Van Persie foi para a cobrança, acertou o canto esquerdo e ampliou, inflamando a torcida no Emirates.

Na única grande chance que o Milan teve antes do intervalo, aos 45 minutos, a bola foi de pé em pé até chegar dentro da área para El-Shaarawy, que, de frente com Szczesny, finalizou para fora.

A equipe de Milão saiu um pouco mais para o ataque no segundo tempo, embora o Arsenal ainda assustasse mais. Aos sete minutos, Robinho adiantou na esquerda para Ibrahimovic, mas Szczesny chegou primeiro e mandou para a lateral.

A resposta dos ‘Gunners’ veio seis minutos depois, e Abbiati salvou o Milan de forma incrível. Primeiro, ele defendeu com os pés após chute de Gervinho que desviou na marcação; no rebote, Van Persie tentou um toque por cobertura e o arqueiro interceptou novamente.

Àquela altura, um gol dos italianos obrigaria o Arsenal a fazer três, e Szczesny e Song quase colocaram tudo a perder. Na saída de jogo, o goleiro tocou curto para o volante, que perdeu para Ibrahimovic. O sueco tentou de longe e tirou tinta da trave direita.

Aos 25, Walcott desceu em velocidade pela direita e cruzou fechado. Antes que alguém do time anfitrião completasse, Abbiati deu um tapa e afastou o perigo.

Seis minutos depois, os ‘rossoneri’ tiveram tudo para ‘matar’ o duelo, mas Nocerino desperdiçou uma oportunidade incrível. Aquilani, que substituiu El Shaarawy, cruzou rasteiro da direita e o meio-campista, livre, finalizou sem força e entregou nas mãos de Szczesny, que já estava caído.

Se o esperado era uma enorme pressão do Arsenal nos 15 minutos finais, o que se viu foi uma desorganização por parte dos donos da casa e os visitantes trocando passes aguardando o apito final.

Ficha técnica:.

Arsenal: Szczesny; Sagna, Vermaelen, Koscielny e Gibbs; Song, Rosicky e Oxlade-Chamberlain (Chamakh); Walcott (Park Ju-Young), Gervinho e Van Persie. Técnico: Arsene Wenger.

Milan: Abbiati; Abate, Mexès, Thiago Silva e Mesbah (Bonera); Van Bommel, Nocerino e Emanuelson; El Shaarawy (Aquilani), Robinho e Ibrahimovic. Técnico: Massimiliano Allegri.

Arbitragem: Damir Skomina (Eslovênia), auxiliado por seus compatriotas Primoz Arhar e Marko Stancin.

Cartões amarelos: Sagna, Gibbs e Song (Arsenal); Van Bommel e Nocerino (Milan).

Gols: Koscielny, Rosicky e Van Persie (Arsenal). EFE