Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Após falhas, Júlio César promete respeitar opção de Tite

Por Fábio Hecico

São Paulo – Três dias depois da queda do Corinthians no Campeonato Paulista, com a derrota por 3 a 2 para a Ponte Preta, o goleiro Júlio César falou pela primeira vez, nesta quarta-feira, sobre os erros cometidos na partida. O jogador admitiu as falhas em dois gols do adversário, explicou-se e prometeu trabalho duro para dar a volta por cima e reconquistar a confiança da torcida.

“Foram lances bestas. No primeiro, se vou para espalmar faço a defesa. E no segundo, quis chutar de qualquer jeito e de qualquer jeito as coisas não dão certo. Quis ganhar quatro segundos”, declarou. “Infelizmente isso faz parte do ser humano, da minha profissão. Quem está em time grande não vive só de vitórias. O carinho da família, dos companheiros, me capacita para dar a volta por cima. Já fiz isso em outros momentos e posso fazer agora. Com trabalho, estarei preparado”, completou.

Os erros fizeram reacender as críticas dos torcedores, que reclamaram das constantes falhas do goleiro em momentos decisivos. O próprio técnico Tite admitiu que a vaga de goleiro titular está em disputa para um dos momentos mais importantes da equipe na temporada: as oitavas de final da tão sonhada Libertadores, diante do Emelec. A primeira partida do confronto acontecerá na próxima quarta-feira, no Equador.

Perguntado sobre o que faria se estivesse no lugar do treinador, Júlio César admitiu a dúvida. “É uma situação difícil e não quero entrar neste mérito. Não acho que estou mal, acho que errei em dois gols em meio a um ano muito regular. A decisão é dele (Tite) e se me perguntar direi que estou bem”, comentou. “Respeito qualquer decisão do Tite. Ele sabe do meu trabalho, do meu potencial e se decidir que eu ficarei, estou preparado”, completou.

O próprio Júlio César admitiu que a “paciência vai acabando” com suas falhas em jogos decisivos, mas garantiu que não se intimidará com o momento. O goleiro afirmou que, se seguir como titular, não sentirá a pressão dos torcedores, que devem lotar o Pacaembu na partida de volta diante do Emelec, em 15 dias.

“Tenho consciência de que a coisa vai ficar maior se eu falhar de novo, independentemente de ser mata-mata, final ou amistoso. A paciência vai acabando. Sabendo de tudo que fiz, sei que os erros têm de ser menores. Tem hora que precisa zerar os erros. Isso não pode mais acontecer. Normalmente entro no jogo muito concentrado, com ouvidos voltados para a partida. Pode xingar, falar, estarei concentrado”, garantiu.

Caso seja barrado, Júlio César dará lugar a Danilo Fernandes ou Cássio, que também estão inscritos na Libertadores. Apesar da briga por uma vaga, o atual titular disse ter recebido apoio dos dois goleiros reservas. “O Danilo é meu amigo de longa data, sentou comigo no vestiário, deu força, apoiou. O Cássio me disse na terça: ‘Bola para frente, não é só com você que acontece’. São pessoas que tenho muito carinho, me ajudaram e sabem o que eu passei”, disse.