Clique e assine com até 92% de desconto

Ano dourado para a natação brasileira, mas com suspeitas de doping

Por Por Javier Tovar 27 dez 2011, 17h03

A natação brasileira teve um ano de 2011 repleto de conquistas, com quatro medalhas de ouro no Mundial de Xangai e dez nos jogos Pan-Americanos de Guadalajara, mas seu prinical representante, o velocista César Cielo, teve que enfrentar suspeitas de doping.

Em maio, um exame antidoping realizado durante o Troféu Maria Lenk flagrou Cielo e outros três nadadores, Henrique Barbosa, Nicholas Santos e Vinícius Waked, por uso do diurético furosemida.

Cielo acabou sendo considerado inocente pelo Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) e recebeu apenas uma advertência, o que permitiu sua participação ao Mundial de Xangai.

O nadador paulista conquistou duas medalhas de ouro, nos 50 metros livre (21.52) e borboleta (23.10), mas não conseguiu defender seu título nos 100 metros, terminando em quarto, a um centésimo do bronze.

“Foi uma semana e uma situação agitadas”, declarou Cielo, que não conseguiu conter as lágrimas ao subir no pódio dos 50 metros livres, sob as vaias do público de Xangai, após ter recebido críticas de atletas de outros países.

Felipe França foi o outro grande destaque do Brasil no Mundial, ao conquistar o ouro nos 50 metros peito (27.01), superando o recordista mundial da modalidade, o sul-africano Cameron Van der Burgh.

O Brasil terminou na quarta posição do quadro de medalhas da competição com quatro ouros, graças a vitória de Ana Marcela Cunha nos 25 km da maratona aquática.

Já nos jogos Pan-Americanos de Guadalajara, o grande nome da delegação brasileira foi Thiago Pereira, que conquistou oito medalhas, entre elas seis de ouro, repetindo o feito da edição de 2007 no Rio de Janeiro.

Continua após a publicidade

Ao somar doze ouros nas duas edições em que participou, o nadador de Volta Redonda tornou-se o recordista de títulos do Brasil em Pans.

Em Guadalajara-2011, Thiago faturou o ouro nos 100 m e 200m costas, 200 m e 400m medley, nos revezamentos 4x100m livre e medley, além da prata no revezamento 4x200m livre e do bronze nos 200 metros peito.

“Estou feliz prá caramba, muito satisfeito com essas medalhas”, comemorou Thiago após conquistar sua oitava medalha na competição.

Cielo também brilhou no Pan ao levar quatro ouros, nos 50m e 100m livre, e nos revezamentos 4×100 livre e medley.

O Brasil terminou sua campanha em segundo lugar do quadro de medalhas da natação em Guadalajara, atrás dos Estados Unidos; e somou 25 pódios, 10 ouros, nove pratas e seis bronzes.

A grande meta dos nadadores brasileiros é a Olimpíada de Londres, em agosto de 2012.

“Meu objetivo é conquistar uma medalha olímpica no medley e para isso, além de treinos de alto nível, preciso de muita motivação. Ter minha família e os por aqui ajuda muito neste processo. Outro fator positivo é o fato de nadar ao lado de Cielo e dos demais atletas de ponta aqui no Brasil”, explicou Thiago Pereira, que resolveu voltar a treinar no país após passar dois anos em Los Angeles.

Nas olimpíadas de Pequim em 2008, as únicas duas medalhas do Brasil foram conquistadas por Cielo, com o ouro nos 50 metros livre e o bronze nos 100 metros livre.

A natação brasileira também conta como jovens promessas como Leonardo de Deus, de 20 anos, que levou o ouro nos 200 metros borboleta do Pan de Guadalajara.

Continua após a publicidade
Publicidade