Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Alckmin e Kassab já contam com a abertura da Copa

Por Almir Leite

São Paulo – No evento realizado nesta sexta-feira para celebrar a marca de 1000 dias para o início da Copa de 2014, no canteiro de obras do Itaquerão, o governador Geraldo Alckmin e o prefeito Gilberto Kassab falaram como se a abertura do Mundial já estivesse garantida em São Paulo. Mas, apesar do favoritismo da capital paulista na disputa com Belo Horizonte e Brasília, a Fifa ainda não confirmou oficialmente a sede do jogo inaugural.

“A Copa do Mundo chegou. Faltam mil dias para que nós tenhamos aqui, neste local, a abertura da Copa. Faltam mil dias para que milhares de pessoas em todo o mundo conheçam Itaquera por meio das imagens que serão geradas aqui”, discursou Kassab, durante o evento no Itaquerão, que contou a presença de políticos, dirigentes do Corinthians e de ex-jogadores, além da população da zona leste, onde fica o estádio corintiano.

Um dos atrativos do evento desta sexta-feira foi a presença de ex-jogadores, principalmente Ronaldo. Ele roubou a cena, atraindo a atenção do público que foi ao local. E ainda bateu um pênalti para o ex-goleiro Leão defender. “É um dia muito especial, muito importante para a zona leste”, afirmou o Fenômeno, que também participou da comitiva que foi de trem até Itaquera, no que foi chamado de “Expresso da Copa”.

Durante o evento, também foi inaugurado no local um relógio para fazer a contagem regressiva de 1000 dias para o início do Mundial. “Esse relógio não marca a contagem regressiva, e sim progressiva dos benefícios que a abertura da Copa vai trazer para zona leste de São Paulo”, avisou Alckmin, que ainda ressaltou as facilidades no transporte público que o torcedor terá para poder ir ao Itaquerão, incluindo trem e metrô.

O governador de São Paulo lembrou que a viagem da comitiva nesta sexta-feira, entre as estações da Luz e de Itaquera, durou apenas 19 minutos, incluindo duas paradas no Brás e no Tatuapé. “A Fifa exige 50 mil passageiros por hora nos terminais. Nós teremos 120 mil, sendo 80 mil na linha 3 do metrô e 40 mil na linha 11 da CPTM”, disse Alckmin, reforçando também que o intervalo entre os trens ainda vai cair a partir de 2013.