Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Zeca Camargo sobre crônica a Cristiano Araújo: ‘Não tenho medo das minhas opiniões’

Jornalista se tornou alvo de críticas após texto controverso sobre comoção em torno da morte do sertanejo

Zeca Camargo Zeca Camargo

Zeca Camargo (/)

O apresentador Zeca Camargo tentou se desculpar nesta segunda-feira da crônica feita por ele e divulgada no Jornal das 10, da Globo News, no último sábado. No texto, uma reflexão sobre a comoção nacional em torno da morte do cantor sertanejo Cristiano Araújo, o jornalista compara o fato com a popularidade dos livros para colorir, como uma prova da “atual pobreza da alma cultural brasileira”. Ele também afirma que o cantor “talvez tenha morrido cedo demais para provar que poderia ser uma paixão nacional”. A reflexão, claro, se tornou alvo de comentários raivosos, que levaram Camargo a tentar se redimir durante o VídeoShow, onde chamou o cantor de “Cristiano Ronaldo” e também em seu blog, com um texto em que explica o que quis dizer durante o telejornal.

“Então agora o negócio é comigo. Muito bem. Não tenho medo das minhas opiniões até porque, está claro para mim que minha crítica não era ao artista nem aos luto dos fãs, mas à cobertura que se fez e ao vazio do discurso sobre cultura no Brasil”, diz Camargo. “Como uma amiga comentou, só posso ser responsável pelo que escrevo, não pelo que os outros entendem. Aceito ser o foco agora desta catarse – até por admiração ao cantor. É disso que os fãs precisam agora? Sirvam-se”.

LEIA TAMBÉM:

Funcionários que filmaram corpo de Cristiano Araújo são demitidos e indiciados

Sertanejo Cristiano Araújo morre em acidente de carro

Nas redes sociais, os sertanejos criaram uma corrente contra a crônica e nomes como a dupla Henrique e Juliano, Fernando e Sorocaba e Israel Novaes publicaram imagens em que aparecem de ouvidos tapados como forma de protesto e puxaram a hashtag #QuemEZecaCamargo.

“Cristiano Araújo, porém, com todo seu carisma e talento, floresceu numa época diferente do pop, quando as carreiras são mais ‘relâmpago’ e com um quociente de adoração ‘imediato’. Seu fãs de coração, atônitos diante da perda, abraçaram qualquer gesto solidário – mesmo de quem nunca havia ouvido falar do cantor”, argumenta. “Munidos apenas da emoção – e de uma má interpretação da minha crônica – esses fãs acreditaram, alimentados por uma meia dúzia de comentários confusos, que eu os acusava de alguma coisa, ou pior, que eu apontava o dedo para seu ídolo, quando na verdade eu tentava entender o que faz justamente o outro grupo – o de ‘não fãs’ – a reagir da maneira como o fizeram”, explicou o jornalista.

‘Efeitos’

Com a participação de Jorge e Mateus, a música foi uma das primeiras do cantor a tomar as rádios goianas. 

‘Você Mudou’

Primeiro grande hit do cantor, a balada fala sobre o fim de um amor. O vídeo no YouTube conta com mais de 37 milhões de visualizações. 

‘Hoje Sou Seu Meu Bem’

Com ritmo de arrocha, a canção romântica dançante se tornou sucesso em 2012 e conta com mais de 3 milhões de visualizações no YouTube. 

‘Delírios de Amor’

A música parte do primeiro disco do sertanejo pela Som Livre, Ao Vivo Em Goiânia, de 2013, traz a participação do cantor mirim Hugo Henrique. 

‘Bará Bará’

Antes das apresentações da canção Bará Bará, Araújo brincava: “a letra mais difícil do Brasil”. A ironia tinha sentido, o refrão da música, que repete o título, era fácil de decorar e se tornou a canção-chiclete de 2013. 

‘Empinadinha’

A canção dançante, que também flerta com o arrocha, faz parte do disco de 2013 Continua, segundo da carreira do cantor com a gravadora Som Livre. O clipe da música no YouTube conta com mais de 24 milhões de visualizações. 

Cê Que Sabe

Com mais de 27 milhões de visualizações no YouTube, a canção é uma das mais românticas do repertório do cantor, e foi lançada em 2014, em seu último disco, In the Cities – Ao Vivo em Cuiabá.

‘Hoje eu tô Terrível’

Parte de seu último disco, In the Cities – Ao Vivo em Cuiabá, de 2014, a canção segue o clima dançante de balada sertaneja e soma mais de 10 milhões de visualizações no YouTube.

‘Sofrência’

Como diz o título, a canção de ritmo romântico, parte do disco In the Cities – Ao Vivo em Cuiabá, de 2014, exalta o sofrimento causado pelo amor. 

‘É Com Ela que Eu Estou’

Mais uma canção do disco In The Cities, gravado ao vivo em Cuiabá (MT), Araújo canta sobre a superação de um antigo amor. O vídeo da apresentação soma mais de 30 milhões de visualizações no YouTube.