Woody Allen processa Amazon em US$ 68 mi por descumprimento de contrato

Diretor reclama pagamento por filme que foi finalizado, mas não foi lançado pelo estúdio, e por outros três longas que estavam previstos em acordo

Por EFE - 7 fev 2019, 23h35

O cineasta americano Woody Allen entrou com processo nesta quinta-feira, 7, contra a Amazon Studios, da qual exige uma indenização de 68 milhões de dólares por ter descumprido um acordo para a produção de quatro filmes.

Segundo a denúncia, a Amazon se recusou a lançar o último filme do diretor, A Rainy Day in New York (Um dia chuvoso em Nova York, em tradução direta), concluído há seis meses, devido a “uma acusação sem fundamento (de abuso sexual) de 25 anos atrás”, segundo Allen. Dylan Farrow, filha do diretor, afirma ter sido abusada pelo pai quando tinha 7 anos, alegações que ele nega.

O processo contra a Amazon também diz que o estúdio deu “apenas razões vagas” para abandonar o projeto. “Essa acusação (do abuso) já era bem conhecida pela Amazon, antes que o estúdio firmasse quatro acordos com Allen”, diz o texto dos advogados.

O processo afirma que após o surgimento do movimento contra o assédio e o abuso sexual em Hollywood, a Amazon propôs ao diretor que o lançamento de A Rainy Day in New York fosse adiado para 2019, o que ele aceitou. No entanto, o documento afirma que, em junho de 2018, o chefe jurídico do estúdio, Ajay Patel, enviou uma nota dando por terminado o acordo para a produção de quatro longas-metragens, e dizendo que Amazon não tinha a intenção de lançar nenhum dos filmes.

Publicidade

O diretor pede agora o valor referente aos “pagamentos mínimos” derivados da produção dos quatro trabalhos, assim como uma compensação pelos danos e os honorários dos advogados.

Publicidade