Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sílvio Santos dá cano em homenagem aos 30 anos do SBT

Apesar da ausência do apresentador, que mandou as filhas em seu lugar, o plenário da Câmara Municipal de São Paulo se transformou em um verdadeiro programa de auditório de domingo, na noite desta segunda

O princípio de tédio se dissolveu quando, à medida que as formalidades iam sendo deixadas de lado, o vereador-cantor Agnaldo Timóteo tomou o microfone e cantou Segura na Mão de Deus. Ele foi seguido por Tiago Abravanel, neto de Silvio Santos que vive o soul-man Tim Maia nos palcos, com Azul da Cor do Mar. Todos os artistas presentes foram chamados para a frente do plenário para cantar. Como um bônus, Tiago ainda contou com a ajuda do coro das colegas de trabalho

Música, plateia, caravanas e o Roque. A fórmula de sucesso dos programas de auditório do SBT, no que se transformou o plenário da Câmara Municipal de São Paulo na noite desta segunda, de homenagem aos 30 anos do canal, só não foi perfeita porque faltou o ingrediente principal: o legendário Sílvio Santos. Políticos e fãs — muitos fãs, que chegaram em caravanas — esperavam pelo homem-sorriso e seu microfone pendurado sobre o peito, mas o apresentador não se abalou até lá. Em seu lugar, mandou as filhas.

Uma delas, Patrícia Abravanel, hoje apresentadora do SBT, disse que o pai não compareceu porque passou o dia gravando e precisava descansar. “Ele tem 80 anos, já foi a muitas homenagens e gosta de dormir cedo”, justificou. Não fosse a falta do protagonista, a comemoraçnao dos 30 anos do SBT, promovida pelo vereador Toninho Paiva, bem poderia passar na televisão e enganar aos mais desatentos como uma atração da emissora. A ideia de fazer a homenagem no estilo de um programa de auditório, segundo Patrícia, foi da irmã Daniela Beyruti, a diretora artística e de programação do SBT, e da assessoria de imprensa da emissora.

Patrícia Abravanel Patrícia Abravanel

Patrícia Abravanel (/)

Antes do início da solenidade, famosos e pseudo-famosos, todos bem arrumados, posaram para os fotógrafos ao lado de uma imagem em tamanho real de Sílvio Santos e gravaram entrevistas para a televisão. Quem mais se divertiu, contudo, foram os funcionários da Câmara. Com celulares na mão, alguns se acabavam de tirar fotos — embora não soubessem o nome da maior parte das subcelebridades que posavam com eles.

Entre essas subcelebridades, figuras que são patrimônio do SBT, como o animador de plateia Roque, o ator e cantor Moacyr Franco, o humorista Ivo Holanda, o produtor musical Carlos Eduardo Miranda e o apresentador e ator André Vasco.

Com uma hora de atraso – a homenagem estava marcada para começar às 19h30 -, a sessão foi iniciada. Na mesa solene, estavam as duas filhas de Sílvio Santos presentes; José Roberto Maciel, vice-presidente da emissora; Guilherme Stoliar, presidente do Grupo Sílvio Santos; e os vereadores Toninho Paiva, José Police Neto e Agnaldo Timóteo.

Do alto do plenário, quatro caravanas de mulheres saídas da Penha, Vila Antonieta, Osasco e Parada Inglesa batiam palmas, gritavam e cantavam ao som da banda da Polícia do Exército. As “colegas de trabalho do Programa Sílvio Santos“, como são chamadas por contribuir para a animação da atração, cumpriram seu papel e deram ao plenário um toque de SBT. Foi como se a estrela ausente da festa estivesse ali, circulando e jogando cédulas para o alto.

O que se seguiu, no entanto, não teve a energia da pergunta “Quem quer dinheiro?”. A um nada elaborado vídeo sobre o canal, os políticos da mesa se puseram a discursar, um por um. O conteúdo era o mais manjado: elogios a Sílvio e agradecimentos.

O princípio de tédio se dissolveu quando, à medida que as formalidades iam sendo deixadas de lado, o vereador-cantor Agnaldo Timóteo tomou o microfone e cantou Segura na Mão de Deus. Ele foi seguido por Tiago Abravanel, neto de Silvio Santos que vive o soul-man Tim Maia nos palcos, com Azul da Cor do Mar. Todos os artistas presentes foram chamados para a frente do plenário para cantar. Como um bônus, Tiago ainda contou com a ajuda do coro das colegas de trabalho. Depois da música, o ator entregou a placa em homenagem ao avô a Toninho Paiva, que logo a deu para Daniela, representante do empresário na noite.

Daniela Beyruti Daniela Beyruti

Daniela Beyruti (/)

Dando continuidade à cantoria, Moacyr Franco, o primeiro homenageado, cantou Pequeno Mundo, disputando com Agnaldo Timóteo o título de voz de madeira da noite. Roque então subiu ao palco e mostrou que sua forma de animador de caravanas está viva. “O Sílvio sempre diz ‘Vocês são as minhas artistas'”, disse à claque, para animá-la.

Após a homenagem, literalmente terminada em Ritmo de Festa, a música, convidados e jornalistas se espremeram no estreito corredor que dava acesso a um coquetel. O tal de mostrar pulseira ali, mostrar convite aqui não fez todo mundo conseguir entrar. Depois de um tempo, alguns jornalistas começaram a se exaltar e, no meio do corredor que dava acesso aos bons drinques da noite, sobrou espaço até para a famigerada frase “Você sabe com quem está falando?”.