Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Rio investe para se firmar como capital latino-americana do audiovisual

Riofilme destinará pelo menos 31 milhões de reais em 2012 a 70 projetos de produtoras de filmes, documentários para TV, festivais e democratização do acesso do público

Em 2012, a Riofilme investirá pelo menos 31 milhões de reais em 70 projetos de empresas cariocas de audiovisual, entre filmes, documentários para TV, festivais e ações de democratização de acesso do público. Trata-se do maior investimento da história da empresa estatal do município, mas o montante deve receber um incremento de até 18,5 milhões ao longo do ano, com a entrada de recursos da Lei Municipal de Incentivo Fiscal e do Funcine Rio 1.

A meta é afirmar o Rio de Janeiro como capital latino-americana do audiovisual, valendo-se das belezas naturais e da visibilidade internacional que vem à reboque dos Jogos Olímpicos e da final da Copa do Mundo. Com investimentos crescentes nos últimos anos, o Rio já pode se gabar de ser a capital brasileira que mais investe em audiovisual.

O valor anual investido saltou de 1,1 milhão de reais, em 2008, para 21,2 milhões de reais, em 2011 – um crescimento de 19 vezes. Nesse perído, foram aplicados 60 milhões de reais em 170 projetos, sendo 41 longas, dos quais 16 já foram lançados.

A novidade para 2012 é a criação do Programa de Fomento ao Audiovisual Carioca (FAC), que prevê um investimento não-reembolsável de 10 milhões de reais em filmes e conteúdo de TV por meio de cinco linhas: Desenvolvimento de longas; Desenvolvimento de TV; Produção de curtas; Produção de documentários para TV; e Produção e finalização de longas. Os projetos candidatos deverão ser de empresas sediadas no Rio de Janeiro, e a verba precisa ser gasta na cidade – independentemente de onde a produção seja filmada.

“Acreditamos que é preciso ter duas linhas diferentes porque não dá para apoiar um filme que se caracteriza mais pelo seu valor artístico e cultural como um filme que se caracteriza pelo valor econômico, com possibilidade de sucesso comercial e geração de renda e emprego. São produtos distintos que precisam ter mecanismos distintos”, afirmou Sérgio Sá Leitão, presidente da Riofilme, justificando a criação do FAC.

Além do aporte da Riofilme, o FAC ainda terá um milhão de reais do Canal Brasil (em regime de coprodução) e 100 mil reais do Instituto Oi Futuro (a título de prêmio). O regulamento do programa será publicado no dia 2 de dezembro, e o período de inscrições vai de 12 de dezembro a 13 de janeiro. O resultado sai no dia 2 de abril.

A Riofilme também destinará 10 milhões de reais, em investimentos reembolsáveis, para a produção e lançamento de filmes com maior potencial de arrecadação. Na prática, trata-se de um financiamento dos projetos, que deverão devolver o dinheiro após um prazo determinado.

Os outros 11 milhões de reais serão divididos na realização de eventos setoriais estratégicos (3,5 milhões de reais), Funcine Rio 1 (4 milhões de reais) e ações de democratização do acesso do público (3,5 milhões de reais).