Precursor da música sertaneja, ‘Zé da Estrada’ morre aos 88 anos

Ao lado do parceiro de dupla Pedro Bento, músico lançou canções como 'Dama de Vermelho' e 'Seresteiro da Lua'

Por Da redação - 5 jun 2017, 20h14

O cantor Waldomiro de Oliveira, o Zé da Estrada, precursor da música sertaneja de raiz com o parceiro Joel Antunes Leme, o ‘Pedro Bento’, morreu nesta segunda-feira, 5, aos 88 anos, num hospital de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. Ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e teve a morte confirmada pelos familiares.

Também foi postado um comunicado na página do sertanejo na internet. “Informamos a todos os amigos, fãs e companheiros que faleceu nessa madrugada (05/06), o nosso querido Zé da Estrada. Que ele fique nas mãos de Deus, levando a sua alegria e cantando no céu.”

Waldomiro de Oliveira nasceu em Pratânia, quando a atual cidade ainda era distrito de Botucatu. A dupla ‘Pedro Bento e Zé da Estrada’, formada em 1954, lançou sucessos, como Dama de Vermelho, Seresteiro da Lua, Mágoa de Boiadeiro e Luar do Sertão. Suas músicas foram repetidamente gravadas por outras duplas sertanejas de sucesso.

No fim dos anos 60, os dois passaram a cantar também músicas de inspiração mexicana, com o acompanhamento de trompetes e o vestuário característico dos ‘mariachis’. A dupla foi homenageada com um museu em Pratânia, no qual outra dupla sertaneja famosa, Tonico e Tinoco, possui uma sala. O corpo de Zé da Estrada está sendo velando em Riolândia, onde será sepultado nesta terça-feira, 6.

Publicidade

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade