Clique e assine a partir de 9,90/mês

Pintura de Rothko é atacada em Londres

Uma das peças do pintor russo em exposição na Tate Modern, famoso museu britânico, foi alvo de vândalos neste domingo. Polícia investiga o caso

Por Da Redação - 8 out 2012, 10h54

Uma pintura do russo Mark Rothko que estava em exposição na Tate Modern, famoso museu londrino, foi vandalizada neste domingo. De acordo com o jornal britânico The Guardian, a galeria divulgou um comunicado no qual confirma que um visitante aplicou tinta preta com um pincel por cima de um dos murais Seagram. A polícia local está investigando o caso.

Segundo o jornal, o museu foi avisado do vandalismo por um visitante, que publicou uma foto da obra na internet e explicou que viu um homem atacar a pintura. Segundo ele, o homem ficou sentado por um longo período em um dos bancos da sala dedicada a Rothko, instalada no começo deste ano.

Os murais foram pintados em 1958 para adornarem o restaurante do hotel Four Seasons no edifício Seagram, em Manhattan, Nova York. No entanto, Rothko desistiu de entregar as pinturas ao hotel. Acabou devolvendo o dinheiro que havia recebido e manteve as obras para si.

Doação – Em 1969, Rothko doou as nove pinturas para a Tate. A que foi vandalizada faz parte de uma sequência intitulada Black on Maroon (preto no bordô).

Continua após a publicidade
O quadro de Mark Rothko “Laranja, vermelho, amarelo”, de 1961 VEJA

Mark Rothko nasceu em 1903 na região que hoje fica a Letônia. Geralmente, seu trabalho é classificado como o de um expressionista abstrato, embora ele não gostasse dessa definição. Ele se suicidou em 1970, aos 66 anos, após ser diagnosticado com um aneurisma e ser deixado pela mulher. Os murais chegaram à galeria Tate no dia de seu suicídio. Hoje, as pinturas de Rothko valem fortunas. Em maio deste ano, a obra Red, Orange, Yellow (vermelho, laranja, amarelo) foi vendida por 86,8 milhões de dólares em um leilão em Nova York.

Publicidade