Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Para jornal do Vaticano, não há maldade suficiente no novo ‘Star Wars’

Opinião faz parte de crítica do novo filme da saga publicada no 'L'Osservatore Romano'

O jornal do Vaticano L’Osservatore Romano publicou uma crítica sobre Star Wars: O Despertar da Força em que critica os vilões Kylo Ren (Adam Driver) e Supremo Líder Snoke (Andy Serkis). Para a publicação, eles não são “maus” o suficiente e apenas remetem distantemente aos outros “malvados” da saga. “O novo diretor falha espetacularmente em sua representação do mal. Darth Vader e acima de todos o Imperador Palpatine eram dois dos mais eficientes vilões desse gênero do cinema americano”, escreveu o crítico anônimo.

LEIA TAMBÉM:

Novo ‘Star Wars’ leva 1,8 milhão aos cinemas do Brasil em quatro dias

‘Star Wars VII’ bate novo recorde: US$ 528 milhões em três dias

O Papa é pop: Sumo Pontífice vai ganhar álbum de rock

Fim do suspense: o novo filme da série ‘Star Wars’ é bom!

“Kylo Ren usa uma máscara que imita de seu percursor, Darth Vader, enquanto o personagem que tem de substituir o Imperador Palpatine como incarnação do mal supremo é a falha mais série do filme”, continua o crítico sem nome. O L’Osservatore Romano pertence à Santa Sé desde 1861. mas sua reputação de publicação conservadora tem mudado nos últimos anos. Se, em 1960, o jornal criticou Federico Fellini por A Doce Vida, classificado como uma “incitação ao mal e ao vício”, 007 – Operação Skyfall recebeu elogios em 2012 por suas “extremamente belas bond girls”.

(Da redação)